PUB.

Editorial

PUB.

No dia 6 de Janeiro iniciou-se a consulta pública sobre as zonas onde a cobertura de rede ainda não chegou. É altura de participar e sinalizar todas as situações.

2022 entrou sem fogo de artifício, sem festa e sem convívio. Entrou recatado, mas a expectativa, até há bem pouco tempo, era diferente. A elevada taxa de vacinação indicava-nos que poderíamos voltar a comemorar. 

Fomos ouvir os empresários para saber como está o comércio local nesta época festiva que é sempre a mais aguardada. Os relatos não são animadores, aliás muito pelo contrário.

Noticiámos, esta semana, que um dos programas do Governo para captar pessoas para viver no Interior não teve nenhuma adesão. O programa chamava-se “Chave na Mão”, que ficou mais “sem mão”.
Perguntam-se porque não teve nem uma inscrição? Será que realmente ninguém quer viver aqui? 

A manchete desta semana faz-se de um assunto que é muito preocupante e põe em causa os sectores fundamentais do nosso território: a agricultura e pecuária.
Em poucos meses o preço dos adubos e rações triplicou e alguns agricultores não vão mesmo semear cereais. 

Esta semana foram divulgados os resultados dos Censos Sénior 2021, a GNR identificou 3343 pessoas nesta situação no distrito Bragança, mais 58 do que em 2020. Esta operação prevê identificar os idosos que estão sozinhos ou isolados.

Meus senhores, a próxima vez que formos votar nas eleições autárquicas temos de ter muita atenção aos últimos da lista, pois podem ser eles a representar a oposição ao poder local. 

Nesta edição damos voz a um casal de Vale Pradinhos, no concelho de Macedo de Cavaleiros, que quis partilhar a sua indignação pelo facto do actual médico de família se recusar a atendê-lo. 

As eleições autárquicas já aconteceram há 38 dias e ainda há freguesias por instalar, nomeadamente em Mirandela. 

O que é afinal o famoso 5G?
 A Comunidade Intermunicipal das Terras de Trás-os-Montes tem vindo a reclamar que o projecto-piloto de instalação do 5G comece pela região. Os Autarcas reivindicam o mesmo, mas, talvez, devêssemos perceber o que é que nós queremos concretamente.

O mês de Outubro é dedicado internacionalmente à sensibilização para o cancro da mama. Chamado “Outubro Rosa”. Em Portugal, a doença afecta cerca de 7 mil mulheres por ano e causa a morte a 25 por cento das vítimas.

Ainda nem chegou a segunda fase de acesso ao ensino superior e já estão esgotados os alojamentos para os estudantes do Instituto Politécnico em Bragança e Mirandela.