Opinião

27/06/2017

Agostinho da Fonseca terá nascido em Chaves, por 1614. Era filho de Mariana de Almeida, originária de Castro Roupal, termo de Bragança e do Dr. João Soares, natural de Chaves, médico de profissão. Dos irmãos de Agostinho conhecemos António Fonseca, nascido por 1620 e Luísa da Fonseca.

27/06/2017

Todos os primeiros-ministros da história recente de Portugal já tinham larga experiência política e partidária quando ascenderem a esse cargo fundamental.

27/06/2017

– Boa tarde, ti Júlio

– Olha o ti’ Tomé Guerreiro. Pois se é tarde viesse mais cedo. Que um bom guerreiro apronta-se de manhãzinha.

21/06/2017

O equilíbrio natural do planeta Terra tem sofrido ameaças reais que importa considerar e analisar em prol das gerações vindouras.

21/06/2017

Isabel Lopes nasceu em Moncorvo por 1503. Foram seus pais André Lopes e Catarina Dias. Casou em Vila Flor, com Vasco Fernandes, tabelião. Pelo menos 7 filhos e 3 filhas do casal chegaram à idade adulta e todos casaram e residiram na região de Moncorvo – Vila Flor.

21/06/2017

Na verdade, começa a fazer sentido pensar-se que os acontecimentos têm a importância que se lhe pretende dar, podendo, em alguns casos, deduzir-se que, mais do que o seu impacto na vida das pessoas e, consequentemente, das sociedades é a relevância atribuída que determina a dim

21/06/2017

Desde que o homem é homem que se habituou a olhar para o céu à procura de respostas às perguntas que ele próprio fazia e aos problemas que o universo constantemente lhe propunha.

13/06/2017

Nesta semana realiza-se em Bragança um Congresso Internacional de Cultura Judaica. Trata-se de um acontecimento de transcendente importância. Sobreleva ainda a qualidade dos intervenientes anunciados, tando os nacionais como os estrangeiros.

13/06/2017

Foram três longos anos a pensar Bragança, as suas gentes, os seus costumes, a sua história, passeando nostalgicamente por uma Bragança antiga, com ruas e becos que já não existem, ou se modernizaram.

13/06/2017

No entendimento comum a palavra “sentimento”, embora possuindo mais ampla significância, é associada sobretudo a estados de tristeza, enquanto a palavra “afecto” é mais voltada para amor e amizade.