PUB.

Tio João

PUB.

Estamos em Agosto com muito gosto

Olá familiazinha, gente boa e amiga.

Fez 6 anos, no passado dia 1 de Agosto, que a Rádio Brigantia abriu as portas à Família do Tio João. Em boa hora o fez, porque tem vindo a sentir-se um crescimento da família, em todos os aspectos, desde então: As participações aumentaram substancialmente e novos membros da família não têm deixado de se apresentar diariamente. Como é do conhecimento geral, o nosso programa é mais direccionado para uma faixa etária alta e, se é verdade que uns vão partindo, também não é menos verdade que outros, mais novos, se vão apresentado e envelhecendo connosco.

Fantasia e realidade sobre as cegonhas

Como estão os leitores da página do Tio João?

O mês de Julho está a findar e fazendo o balanço, ao nível de temperaturas, tivemos algumas vagas de calor, a que chamamos “vagas loucas”. Com este calor vieram também as trovoadas uma vez por semana. Todos sabemos que a “santa esquecida”, a Santa Bárbara, é a protectora contra as trovoadas e só nesses momentos é evocada. Como diz o nosso povo há muito tempo, “só nos lembramos de Santa Bárbara quando troveja”.

A colmeia é uma fábrica de delícias

Olá gente boa e amiga!

Estamos a viver dias com muito calor.“Está cá uma brasa,” “que forno”, “pingamos água por todo o lado”, são algumas das expressões com que o nosso povo caracteriza dias tão quentes. O que nos vale é a brisa que se faz sentir de madrugada, que o diga eu, que as saboreio diariamente. Nesta altura as pessoas madrugam e vão para o campo, tentando fugir ao sol tórrido. Depois de almoço aproveitam a parte mais fresca de suas casas para dormir uma sesta, regressando ao campo mais à tardinha. Dizem os nossos tios agricultores não fazer outra coisa senão andar com a “caneta de dois bicos” a tirar a erva que não pára de crescer. Outros há que andam a “desmamonar” oliveiras e vinhas. É preciso eliminar das árvores o que não dá fruto.

Histórias de cabras e do bom queijo

Olá como estão os leitores da página do tio João?

 

Como diz o povo, “nós cá vamos e cá imos”.

Piquenicão da Família do Tio João A festa do povo há 30 anos

Olá, como estão os leitores da Página do Tio João?

Na passada semana estive de férias com um grupo de amigos da nossa família, em Cambrilis, na Costa Dourada, Espanha onde, durante uma semana, disfrutámos do Mar Mediterrâneo e da onda de calor que invadiu o país vizinho.

Agradeço a todos aqueles que me deram miminho e carinho no meu aniversário, dia 28, em que também estiveram de parabéns o Carlos da Grua, o Martim (neto do tio Alcino Silva, de Vinhais), a Ana Paula, de Bragança e a Maria José, de Ousilhão (Vinhais).

Agora vamos reviver alguns momentos que aconteceram no Domingo, no Santuário da Senhora do Aviso, em Serapicos (Bragança).

Vinho e outras artes nas adegas de Atenor

Olá familiazinha!

Por vezes damos por nós a dizer que a vida é injusta. Na terça-feira ligou-me um dos muitos pastores que participam no nosso programa, o tio Rodrigo, de Rebordaínhos (Bragança), que semanalmente costuma marcar a sua presença, dando notícias à família. Não lhe passaria pela cabeça que, alguns minutos depois da sua intervenção, o seu filho Tiago Rodrigo, com 30 anos, a trabalhar na Zona Industrial de Mós, seria vítima de morte súbita. Sabemos que a ordem da vida seria os filhos verem partir os pais, por isso será muito mais penoso os pais verem partir um filho ainda tão novo. A aldeia de Rebordaínhos chora um filho da terra que partiu sem avisar. Não tenho palavras para consolar o nosso tio Rodrigo. Paz à sua alma e os sentimentos à família enlutada. Tantos anjinhos o acompanhem como lágrimas fez derramar a tantos que quiseram dar-lhe o último adeus.

Vida de vendedor ambulante

Olá familiazinha!

Desde que comecei com o programa do Tio João, já lá vão quase trinta anos, registo diariamente numa agenda os nomes das pessoas que me ligam e das suas localidades, assim como as temperaturas mínimas e máximas de cada dia. Certo é que nunca tivemos temperaturas tão baixas para esta altura do ano, como foi o caso nos dias 6 e 7 deste mês, em que as temperaturas mínimas foram de 4º e as máximas de 16º. No Inverno houve muitos dias em que as temperaturas mínimas e máximas foram mais elevadas. Não é um fenómeno novo, porque há pessoas que se lembram de já ter sido assim noutros anos.

Quinta-Feira da Ascensão é tempo de ladainhas e bênção dos campos

Como estão os leitores da página do Tio João?

Estamos no mês de Junho, mês dos Santos Populares. Diz o nosso povo que “quem em Junho não descansa, enche a bolsa e farta a pança”, sinal que agora é uma época de muito trabalho nos campos para os nossos tiozinhos, que já andam a segar os fenos, pois “feno alto ou baixo, em Junho é segado” e, como “sol de Junho madruga muito”, as lides no campo começam muito cedo.

102 anos de vida com muita energia

Olá gentinha boa e amiga!

A tia Helena Madureira, de Alfaião (Bragança), festejou os seus 102 anos de vida no dia 22 de Maio, quarta-feira, dia de Santa Rita de Cássia, advogada das causas impossíveis, e por isso com a sua bênção, pois tem tornado possível esta idade tão bonita à tia Helena, com muita energia e grandes memórias. Foi no programa deste dia que o nosso tio Acácio, de Alfaião, mas a viver no Barreiro, nos informou deste aniversário, dedicando em directo e a pedido da aniversariante a música “A Saia da Carolina”, que ela tanto canta e gosta. Resolvi deslocar-me a Alfaião desse dia, para falar pessoalmente com tal monumento vivo e fiquei deveras impressionado com a lucidez e memória que a tia Helena ainda tem, pois quando me viu, a primeira coisa que disse foi “agora sim, está muito mais bonito! Já não está gordo!!!...”. Acrescentando ainda que “a única vez que o vi, foi há vinte e tal anos, na Taberna Benfica, a beber uns copos”. Além de recordar claramente este episódio, também se lembra de que o meu avô era o barbeiro do seu pai e que eram muito amigos, acrescentando “você foi criado naquela casinha, da esquina da Caixa Geral de Depósitos”. Como fiel ouvinte do nosso programa, recordou muitos acontecimentos da nossa família, como por exemplo a poesia do tio Carlos Vaz, de Serapicos (Bragança), a expressão característica do tio Firmino Ginja, de Carção (Vimioso), “até no cemitério já há vaidade, tio João!”, e muitos outros ouvintes que Deus já chamou.