Tio João

III Feira Rural da Terra e da Gente da Lombada - As feiras que dão vida às nossas terras

Olá familiazinha!
Estamos chegados ao fim do mês de Janeiro e, como sempre, neste espaço tentámos resumir tudo o que se passa diariamente no programa Bom Dia Tio João da rádio. Claro que há dias em que a alegria vem ‘ao de cima’, proporcionando-nos escutar vários instrumentos musicais e muitas cordas vocais, que embelezam e dão alegria a quem nos ouve. Mas também há aqueles dias em que as pessoas sentem necessidade de desabafar os seus problemas do dia-a-dia, entre eles os de saúde e a perda de entes queridos. Quando em alguma localidade acontecem acidentes tão trágicos, como o da semana passada em Caravela, toda a família vive a tristeza das outras pessoas como se fosse deles próprios.
O casal Norberto Moreira e Rita, de Oleirinhos (Bragança) festejaram, no passado sábado, as suas bodas de ouro. Que continue o pão da boda.
A tia Emerência, do Castedo (Torre de Moncorvo) pôde, na semana passada, dizer alto e em bom som: “— Tenho uma filha que fez 74 anos”… E agora digo eu: Não é para todos, é só para os que lá chegam. Nem todas as mães podem dizer o mesmo.
Além da tia Austelina (74), da Horta da Vilariça (Torre de Moncorvo), também estiveram de parabéns a tia Maria da Conceição (73), de Vilarandelo (Valpaços), o tio Mário (91), de S. Mamede de Ribatua (Alijó) e a tia Maria (54), de Uva (Vimioso).
Que continuem a contar os anos na nossa companhia.
Como estamos a chegar ao fim de Janeiro, brindo-vos com um artigo sobre os santos do fumeiro e também com a III Feira Rural da Terra e da Gente da Lombada.

Santa Casa da Misericórdia de Bragança - 500 anos a fazer o bem

Olá familiazinha!
Depois de ter ouvido algumas tias a promoverem a sua terra cantando o hino da sua aldeia, lembrei-me de começar a incentivar todos os que nos ouvem para que nos cantem o hino da sua terra porque é uma boa maneira de publicitar o bom nome da localidade, porque os hinos são bons cartões de visita, visto que retratam as principais características de cada localidade. Ficamos então à espera que nos cante o hino da sua terra.
Neste mês de Janeiro já fizemos 24 novos amigos. A vida dá-nos amigos e a morte rouba-no-los. Foi o caso do tio Fernando, das Cantarias (Bragança), que imitava como ninguém o zurrar do burro e nas nossas viagens e festas era o grande cómico da família. Que tenha tantos anjinhos à espera dele como gargalhadas nos fez soltar. Paz à sua alma e os sentimentos à família enlutada.
Por outro lado, quem esteve de parabéns esta semana foi a tia Maria José (48), do clube dos auriculares, de Bragança; a tia Fatinha (39), de Castro Vicente (Mogadouro); o Vítor Pinela (45), de Sacoias (Bragança) mas que nos ouve em Paris e a tia Helena Romão (80), de Caravela (Bragança), madrinha da tia Leninha. Parabéns cheios de saúde para todos.
Na segunda feira, dia 22, fiz o programa em directo do lar da Santa Casa da Misericórdia de Bragança para abrir as comemorações dos 500 anos desta instituição. Deixo-vos um artigo escrito pela sua directora, Dr.ª Ana Maria.

Rádio novela da família

Olá familiazinha!
E ao nono dia do ano, a neve chegou!
Sempre ouvi dizer que depois de um Verão muito quente vem um Inverno muito frio. Os primeiros dias deste ano têm-se caracterizado por muita chuva, geada e neve, mas dizem os antigos que “ano de bom pão, tem de ter sete nevadas e um nevão”.
Esta semana, que principiou com o dia de Santo Amaro (15 de Janeiro, o santo boteleiro), Santo Antão (17 de Janeiro, ‘advogado’ dos porcos) e S. Sebastião (20 de Janeiro, o santo que tem mais capelas e capelinhas na nossa região). Estes são os três santos a quem o povo faz oferendas do tradicional fumeiro, que depois são leiloadas. Para a semana iremos aprofundar mais este tema.
No dia 13, sábado, comemoraram as suas bodas de ouro matrimoniais o tio Altino e a tia Maria Augusta, de Saldonha (Alfândega da Fé). Que continue o “pão da boda”.
Na semana passada foi batido o recorde de parabéns cantados pelo meu João André, visto que estiveram de parabéns a Irene Farruquinha (46), que nos liga de Paris mas é de Coelhoso (Bragança), o António Gonçalves (45), de Bragança, os irmãos gémeos de Tuizelo (Vinhais) Luís e António Santos (51), o tio Chedre (70), o tocador de concertina e comilão das castanhas, de Nunes (Vinhais), a tia Glória (70), de Lodares (Vila Real), o tio José Luís (71), de Vale de Gouvinhas (Mirandela), a tia Maria Rocha (80), de Salsas (Bragança), a tia Edvige (68), de Bragança, a tia Adélia (75), de S. Julião (Bragança) e por fim a tia Rosalina (52), de Rebordelo (Vinhais). Parabéns com muita saúde para todos. E agora vamos ao resumo dos últimos episódios da nossa rádio novela da família do Tio João.

Boas festas que nos dão os Reis

Olá familiazinha!
Diz o povo e com razão que nós, por cá, ainda vamos vivendo no cantinho do céu, visto que, dos furacões de nomeada, só tem chegado cá a “pontinha de uma unha”. Na primeira semana do ano tivemos 220 participações, o que é o record de sempre, tendo registado no primeiro dia do ano 64, todas elas com o brilho do ano novo em que todos desejaram a todos um melhor ano. Até à data já se apresentaram à nossa família onze novos membros. Também foram já muitos os que não deixaram cair a tradição e nos cantaram os Reis, não à nossa porta, mas ao nosso ouvido e ao nosso coração, entre eles a tia Silvina e o Tio Agostinho que aqui deixamos reproduzidos, sendo que os Reis vão continuar até ao dia 20 de Janeiro, dia de S. Sebastião.
No que respeita a aniversários, no dia 1 estiveram de parabéns os irmãos José António, que fez 39 anos e o José Manuel fez 36, de Cabeça Boa (Bragança).
Também a tia Delfina e o seu pai, tio Canelhas, de Paradinha de Outeiro (Bragança) fizeram 63 e 86 anos, respectivamente. António Júlio, de Viduedo (Bragança) completou 86 anos, Sebastião Eira Velha, de Cernadela (Macedo de Cavaleiros) e a sua neta Matilde comemoraram no dia 4, 71 e 15 anos, respectivamente. Quem festejou à grande o seu aniversário com a família foi o tio António Cavalheiro, de Vilarandelo (Valpaços), que nos brindou nesse dia com as orações da manhã, baseadas na sua própria vida. Para todos parabéns e muita saúde.
E agora, as boas festas que nos deram os Reis.

365 dias para viver e o ano todo para conviver

Olá familiazinha!
Já estamos a viver o ano 2018, com a particularidade de terem começado ao mesmo tempo o ano, o mês e a semana. No ano em que a Páscoa é “enganada”, pois calha dia 1 de Abril, dia das mentiras. Curioso também é o facto de o Dia dos Namorados ser na Quarta-Feira de Cinzas, dia em que não se come carne, mas há sempre a opção de uma ementa de peixe para o tradicional jantar de namorados…
Pelo quarto ano consecutivo a minha passagem de ano foi em Caravela, terra da minha esposa Leninha, com o jantar comunitário e o respectivo baile no pavilhão da casa do povo. É bom fazermos a viragem do ano na companhia daqueles que nos acompanham durante todo o ano. Embora eu seja de Bragança, já me sinto um lombardês.
Os últimos aniversariantes do ano foram o nosso Pedro Espanhol, que é o espanhol mais português da nossa família. Para mim é como um irmão e festejou os seus 52 anos. Que continue a acompanhar-nos nas viagens e nas festas, como tem feito até aqui. Também a tia Alcides, de Coelhoso (Bragança), completou 63 anos, o tio Ernesto Oliveira, de Bragança, fez 78 anos e o Henrique, de Rio Frio (Bragança), filho da tia Antónia Pastora, comemorou os seus 34 anos de idade. Que a todos eles lhe voltemos a comemorar o aniversário com muita saúde.
Estou ansioso pelo decorrer deste ano, pelas viagens que vamos realizar, sempre com o lema “vamos para fora cá dentro” e também pela curiosidade de saber onde se vai realizar o piquenicão, o magustão, o almoção e outros convívios, ainda sem lugar escolhido.
Quero também desejar a todos 365 dias a viver e o ano todo a conviver, como sempre temos tentado fazer, através do nosso programa de rádio e desta página. Mas, atenção! Sabemos que temos pela frente 365 dias de luta constante. Desejo a todos um ano com muitos mais sorrisos do que lágrimas e se estas caírem, que sejam de alegria.
Deixo-vos a tradição dos “Encamisados”, que se realiza todos os anos, nos dias 31 de Dezembro e 1 de Janeiro, em Vale das Fontes (Vinhais).

Tradições de Natal que se mantêm neste cantinho de Portugal

Olá familiazinha!
Estamos na última página do ano. Ao longo destas 52 edições tentámos fazer-vos chegar os convívios, os encontros e as tradições da nossa grande família, estando sempre ao lado daqueles que festejam a vida e dos que choram a morte. Também temos mencionado todas as actividades agrícolas que acontecem ao longo do ano. No próximo ano queríamos poder continuar a contar com as vossas colaborações para tornarmos esta página cada vez mais interessante e mais lida.
Na última semana fiquei muito admirado porque nunca tinha ouvido falar no rebusco da azeitona. A tia Isolina, de Parada (Valpaços) é que me contou que todos os anos vai ao rebusco da azeitona e houve anos em que conseguiu apanhar mais de mil quilos de azeitona no rebusco, se bem que este ano, porque as pernas já não a ajudam, não conseguiu atingir essa quantidade, apesar de ter dito que há mais azeitona perdida, em consequência da mecanização da apanha, pois os vibradores atiram mais azeitona para fora das lonas. Também nos confidenciou que são os próprios donos dos olivais que a convidam a ir a rebuscar, cientes de que muito fruto ficou por lá.
Já chegou o Inverno. O dia 21 de Dezembro foi o mais pequeno do ano mas, como diz o povo “pelo Natal, salto de pardal; em Janeiro, salto de carneiro”.
Estiveram de parabéns, na semana passada, o tio Jorge Rodrigues, de Bragança, que nos liga de Colónia, na Alemanha, o tal que vem às viagens e festas da família de propósito e que festejou os seus 62 anos de vida. Também a avó babada, Dalma Reis, de Bragança e que está com o filho em Londres, nos apresentou a sua netinha que fez 4 anos, a tia Aida, de Sobreiró de Baixo (Vinhais), a rainha da boa disposição, comemorou os seus 72 anos e a tia Carlota Vieira, de Bragança, completou 73.
Deixamos-vos as tradições de Natal na nossa região, aproveitando para vos desejar um bom ano de 2018, fazendo votos para que todos consigam atingir os objectivos que mais anseiam.

Almoção de Natal da Família do Tio João - Uma árvore por cada almoço...

Olá familiazinha!
Além do temporal que se fez sentir por toda a região, houve outro de carinhos, afectos e amor, causado pela nossa grande família, que fez Natal no passado domingo, mais um ano em Folgosinho, no tio Albertino,
contribuindo com 450 árvores, tantas quanta a gente que
participou no almoço, que irão ser plantadas naquela região tão fustigada pelo incêndio do dia 15 de Outubro.
O tio Albertino contou-nos, na primeira pessoa, que na madrugada do fatídico dia 15 de Outubro, quando tudo ardia em redor, agarrou-se aos filhos com estas palavras: “- Perdemos tudo, mas graças a Deus estamos vivos”. Embora a paisagem naquela zona esteja completamente queimada, as obras de recuperação do armazém do tio Albertino já estão praticamente prontas.
Na semana passada fizeram anos a Maria Estrela, da Amoinha Velha (Chaves), que completou 81, o David Farroquinho, de Coelhoso, a viver em França, fez 15 anos, a tia Conceição, Boticas (Chaves), festejou 34, o António Manuel, de Barreiros (Valpaços), fez 42 e o Francisco Gomes, de Agrochão (Vinhais), atingiu o meio século. Que todos continuem a festejar a vida na nossa companhia.
Agora vamos ao almoção de Natal da Família do Tio João.

Está no tempo de as bater, bem batidas!...

Olá familiazinha!
Somos chegados ao último mês do ano, o mês do Natal.
As geadas marcam presença assídua nas madrugadas frias, o que faz com que muita gente da família já comece a pensar na matança do seu cevado, embora uns por problemas de saúde e outros por falta de tempo, cada vez haja menos quem possa criar porcos, pois dá muito trabalho e despesa.
No dia 30 de Novembro quem fez anos foi o nosso ministro dos parabéns, nomeado assim por ser ele que, durante todo o ano, canta os parabéns a quem está de aniversário.
É ele o meu João André: João porque eu não sou e André por ter nascido no dia deste santo.No dia do seu aniversário não lhe faltaram muitos miminhos de toda a família.
Na semana passada também esteve de parabéns a nossa avó Laurinda, de Bragança, que festejou a sua juventude dos 90 anos, a matriarca dos Farruquinhos; também a tia Otília, de Coelhoso (Bragança), a tal ‘riquíssima’ que tem sete casais de filhos, completou 78 anos e o tio Mendonça, de Canavezes (Valpaços) fez 82 anos de vida. Parabéns a todos e que tenham muita saúde.
Para a semana trago-vos o almoço de natal da família do tio João, mas por agora vamos à azeitona!...

Em Fátima no encerramento do centenário

Olá familiazinha!
Já tivemos a visita da tão desejada chuvinha, mas ficamos “inhaugados”, mas mesmo assim foi melhor que coisa nenhuma e esperemos que este Inverno, que já não está muito longe, a chuva marque presença assiduamente, para as nascentes rebentarem e encherem os rios e as barragens.
Estou contente porque a nossa família nunca cresceu tanto como nestes últimos dias. Já vamos com 47 novos membros, só este mês, mas estamos de luto porque nunca tinha acontecido que, no espaço de quatro dias, três figuras marcantes da família nos tivessem deixado. O primeiro foi o nosso tio José Rocha, de Peredo (Macedo de Cavaleiros), que estava em França e padecia de um cancro no pâncreas que o vitimou no espaço de três meses. Muitas vezes nos cantou o fado de Coimbra, de que tanto gostava, nunca esquecendo as saudações para todos os seus amigos e emigrantes que o ouviam na França. Faleceu também a tia Deolinda, de Sendas (Bragança), com a curiosidade de nos ter falado e cantado, no programa, dois dias antes da sua morte. E por último, o nosso tio Manuel Amado, de Pinelo (Vimioso), que vivia em Bragança e quando se preparava para ir ao velório da sua irmã, foi atropelado em frente a sua casa, no Campo Redondo, onde também tinha uma padaria. Que todos eles sejam recebidos por tantos anjos como vezes falaram e conviveram connosco. Os sentimentos às famílias enlutadas e paz às suas almas.
Como também festejamos a vida, na última semana estiveram de parabéns o tio Ângelo, de Rendufe (Lamego), que fez 68 anos, o tio Filipe, de Argemil (Chaves), emigrado na França, que chegou aos 43 anos e a nossa tia Luz Celeste, de Castelo (Alfândega da Fé), também emigrada na França, que completou 54 anos. Parabéns a todos e que para o ano os possamos festejar outra vez.
Quem está a recuperar e já em casa, depois de uma delicada operação ao coração, é o nosso presidente do amor e da amizade, o tio Fernandinho Moita, do Felgar (Torre de Moncorvo), a quem já estamos com vontade de ouvir a sua célebre expressão:
“— És tão linda, oh minha aldeia!”.
Esta semana deixo-vos com um cheirinho da nossa XVII peregrinação a Fátima.