Tio João

A subida à “bandeira” e as passadeiras de flores nas tradições do Corpo de Deus

Olá familiazinha!

Chegou o mês de Junho onde vão reinar os santos populares e no terceiro domingo se vai realizar o XXIX Piquenicão da Família do Tio João, em Vilas Boas (Vila Flor) no santuário de Nossa Senhora da Assunção, esse lugar de paisagens deslumbrantes, onde vamos regressar 20 anos depois. Também foi lá que festejei os meus trinta anos de idade.

A nível agrícola, o tio Manuel Drulovik, de Estorãos (Valpaços) disse-nos que “em Maio semeamos, em Junho arrancamos… a erva, que é a maior produção deste ano!...”. O tempo promete estar instável até à entrada da lua nova, a 13 deste mês, visto que na última houve trovoada. Na última semana batemos todos os recordes de participações, com 225 numa semana, sendo que só no dia do Corpo de Deus tivemos 65.

Vivemos momentos de alegria com a notícia de que a neta do tio Sebastião José Eira Velha, de Cernadela (Macedo de Cavaleiros), já saiu do coma e está a recuperar muito bem. Também a neta de 13 anos do tio Acácio, de Alfaião (Bragança), está quase totalmente recuperada, tendo já voltado à vida estudantil.

Em contrapartida, a tia Idalina Rosa, de Bragança, que toda a família acompanhou durante os últimos anos na grande luta que teve contra a doença que a vitimou, chegou ao fim o seu sofrimento. Também o tio Benjamim, da Quadra (Vinhais), se despediu da vida. Vamos recordá-los para sempre com dois grandes elementos da família. Paz às suas almas e os sentimentos às famílias enlutadas. Durante os últimos dias muitas foram as caras conhecidas da nossa família que estiveram de aniversário: A tia Lurdes Pires (92), de Bragança; Filipe Falcão (58), Caçarelhos (Vimioso); António Alemão (74), Mogadouro; Carla Pinela (47), Sacoias (Bragança); Rui Almeida (59), Bragança; Carlos Pires (55), Mirandela; António Pereira (87), Torre de Dona Chama (Mirandela); Luís Portela (75), Zoio (Bragança); Arminda Pires (65), Freixedelo (Bragança); Carlos Sarmento (60), Cabages (Vinhais); o concertinista que vamos conhecer no piquenicão, José Miguel (14), de Tinhela (Valpaços) e o casal Sezisnando e Irene, de Canavezes (Valpaços) que festejaram as suas bodas de ouro matrimoniais. A todos muitos parabéns cheios de saúde.

Agora deixo-vos com algumas das tradições do dia do Corpo de Deus que ainda se realizam nas nossas terras.

Primeira Comunhão ontem e hoje

Olá familiazinha!

 

Está a chegar ao fim o único mês que já vivemos. Com feriado no primeiro e último dia. Começou com o feriado do dia do trabalhador e termina com o feriado do Corpo de Deus.

Em Maio os nossos tiozinhos do mundo agrícola “têm vergado bem a mola”, mas nos últimos dias estiveram desempregados dos seus escritórios agrícolas porque não puderam tratar da papelada, pois estava molhada. Foi rega automática vinda do céu. A tia Denérida, de São Julião de Palácios, disse-nos que “depois desta chuva e de uns dias de sol a brilhar, as batatas é que vão dar um pulo”.

A vida é um conjunto de alegrias e tristezas. Foi com muito pesar que recebemos a notícia da morte do tio Duque, de Barcos ,Tabuaço, que nos deixou aos 57 anos de vida. Foi um elemento da família que há alguns anos animou muito, tinha sempre a piada certa. Que em paz descanse a sua alma e os sentimentos à família enlutada.

Na semana passada estiveram de aniversário a tia Helena Madureira, de Alfaião, Bragança, que chegou aos 101 anos e que ainda anda pelo seu pé, embora agarrada à sua bengala, a visão é que já começa a ficar gasta. O truque da sua longevidade é que sempre teve o mimo do seu filho, com quem vive. Que para o ano lhe possamos festejar os 102. Também festejaram a vida connosco, o tio Aniceto (68), de Samil-Bragança, a tia Noémia (69), de Podence- Macedo de Cavaleiros, o tio Manuel Teixeira (73), Montesinho- Bragança, o tio Gil, Lisboa (42), Coelhoso e, por fim, Leninha, rainha das rendinhas, menina especial, (48), Vilarandelo-Valpaços. Parabéns a todos e que continuem a fazer anos na nossa companhia.

Agora vamos à Primeira Comunhão.

Um domingo diferente com a nossa gente

Olá familiazinha!

Vamos lá a ver no que isto vai dar! Estamos a referir-nos

às condições meteorológicas, pois como já diziam os antigos, “lua nova troada, trinta dias molhada”.

O certo é que trovejou na entrada da lua nova. Resta-nos

esperar para ver se o ditado tem fundamento.

A nível agrícola o que nos têm dito os tios que participam no nosso programa é que fazer os pés às oliveiras tem sido o trabalho que mais ocupa por estas alturas. Como eu não trabalho no mundo da agricultura tive curiosidade em saber o que é “fazer os pés às oliveiras”. Logo me foi explicado que consiste em cavar à volta do tronco da oliveira, porque o tractor não consegue lavrar mesmo até ao correr do toro e as ervas têm de ser arrancadas à sacha.

Quando comecei no mundo da rádio, há cerca de 29 anos, eram impensável alguém telefonar em directo das suas hortas. Há cerca de 15 anos, estes eram os meses com menos participações no programa devido ao facto de toda a gente já estar a trabalhar nas suas terras. Actualmente não se nota essa falta de participações porque os telemóveis vão para todo o lado com os nossos tios e tias.

Quem ainda não entrou no horário de Verão foi a classe dos pastores, que têm andado de “baixa” para a família devido ao muito trabalho atrasado que têm, mas acredito que dentro de poucas semanas já sejam outra vez eles uns reis no programa.

Na última semana quem esteve muito participativa foi a “classe” dos emigrantes e também temos tido muitas novas apresentações para a família.

Dos 25 que se apresentaram esta semana, destaco o jovem José Miguel, de 13 anos, morador em Tinhela (Valpaços), que nos surpreendeu a tocar a concertina e que já assegurou que vai estar em palco no Piquenicão.

Quem esteve de parabéns foi a Ana Marques (53) e a Sofia Raquel (26), mãe e filha, de Paradinha Nova (Bragança),que fizeram anos no mesmo dia; o padre Manuel Alves, de Perafita (Montalegre); a tia Margarita, de Alcanices (Espanha); a tia Antónia Lopes (85), de Bragança; a tia Infância Marrão (85), de Caravela (Bragança); a minha colega de escola, Isabel Sarmento (50), de Rebordelo (Vinhais); a tia Fátima (71), de Viduedo (Bragança); o tio António dos Anjos Paulos (67), de Carção (Vimioso) e a tia Sandra Miranda (42), de Paradinha de Outeiro (Bragança). Parabéns a todos e que os seus aniversários continuem a constar muitos anos na nossa página.

E agora vamos passear pelas Terras de Basto.

A “sementeira” tradicional das batatas

Olá familiazinha!

A Feira das Cantarinhas já lá vai, e este foi o primeiro ano em que eu não vi os típicos ramos de cerejas à venda, que embora ainda não estivessem totalmente maduras, eram sempre as primeiras do ano e por isso tinham um sabor diferente, além de já fazerem parte desta feira.

A nossa gente continua a puxar pelo lombo, como me disse a tia Maria Lúcia, de Pinelo (Vimioso), porque não arranja voluntários para fazer o trabalho dela.

Como a vida não são só alegrias, na semana passada deixou-

-nos a tia Maria Edite Cruz, esposa do tio João Castilho, de Bragança, que aos 64 anos partiu, depois de uma doença prolongada e muito dolorosa.

Os sentimentos para o nosso tio João Castilho e que saiba que, quando precisar de desabafar, somos milhares de ombros amigos à sua disposição.

Na semana passada festejámos a vida do tio Abílio (54), de Fonte Fria (Murça); André Pássaro (7), filho do nosso Carlos da Grua, emigrante na Suíça; Irene Hostettler (47), também emigrada na Suíça; tia Glória (65), de Alfaião (Bragança); tia Maria do Céu Lopes (68), de Freixeda (Bragança); tio José Bernardino (63), de Sacoias (Bragança); tia Anunciação (66), pastora de Milhão (Bragança) e o tio Hélder (40), de Barqueiros (Mesão Frio), filho do tio Isolino, emigrado na Áustria.

Saúde para todos e que para o ano voltemos a festejar-lhos.

Nesta edição vamos transcrever a participação radiofónica do nosso tio Belmiro dos Santos, de Grijó de Parada (Bragança), que foi muito apreciada pelo nossa família, onde nos conta a sua história verídica com as mulas da sua sogra.

Agora vamos à sementeira tradicional das batatas.

Já não se fazem famílias assim...

Olá familiazinha!
Os nossos agricultores continuam a ser os escrivães da terra. Segundo parece, têm muito para escrever porque há muita erva. Este mês é de muito trabalho agrícola.

“Já tenho a horta posta!”

Olá familiazinha!
Já entrámos em mais um mês de 31. É o quinto do ano e tempo de puxar bem pelo lombo. Além disso, Maio é o mês das flores e dedicado a Maria.
A Primavera já nos trouxe o Verão e no fim-de-semana passado, voltou a trazer o Inverno. Por isso também se voltou a fazer cinza.
Recordam-se de vos falar na Ana Beatriz, de cinco anos? Depois da operação, o nódulo foi extraído e parece que tudo voltou à normalidade. Entretanto tem falado para o programa, para mostrar a sua gratidão a todos quantos pediram por ela. Quem também nos deu conta da sua preocupação foi o nosso tio Sebastião José Eira Velha, de Cernadela (Macedo de Cavaleiros), visto que a sua neta, de 24 anos, está entre a vida e a morte, depois de ter sofrido um enfarte. Claro que a nossa família não se esquecerá dela nas suas orações e oxalá que em breve vos possa dar boas notícias.
Na passada semana, além do nosso tio Francisco Gomes, de Santalha (Vinhais), que comemorou um século de vida, também estiveram de parabéns a tia Maria Vieira (66), de Seixo de Ansiães (Carrazeda de Ansiães); o tio Fernando Correia (77), de Zava (Mogadouro); a tia Maria Lúcia (60), de Pinelo (Vimioso); o tio Óscar (40), de Couto de Ervededo (Chaves); a tia Sofia Machado Castro (56), de Sendim (Miranda do Douro); o tio Gualter, de Agrochão (Vinhais); a tia Justina Ferreira (81), de Grijó de Parada (Bragança) e, por fim, o filho da tia Maria da Perna Gorda, de Castelãos (Macedo de Cavaleiros), que veio ao mundo há 44 anos, à hora e no dia da revolução dos cravos. Parabéns a todos e que continuem a festejar a vida connosco.
Neste número vamos falar das “hortas postas” e homenagear o nosso tio centenário e também relembraremos as tradições do primeiro dia de Maio, que ainda se mantêm em algumas das nossas localidades.

Meio século de vida partilhada a dois

Olá familiazinha!
Aí está a azáfama dos trabalhos nos escritórios da terra. Afinal a Primavera parece que já veio para ficar.
A tia Neves, de Nuzedo de Baixo (Vinhais), disse-nos que “agora para jungir os ossos é que é complicado e quem as paga são os quadrizes!”. Também nos disseram que por estes dias se gasta muito ferro a lavrar as terras. Amigos tractoristas: conduzir um tractor é uma grande responsabilidade. E que ninguém pense que o mal só acontece aos outros. As terras agora estão muito falsas. Segundo nos contou a tia Maria do Céu, de S. Pedro da Veiga do Lila (Valpaços), no dia 19 deste mês, quinta-
-feira, foi encontrado nesta localidade um agricultor de 50 anos, já sem vida, debaixo do seu tractor.
No dia do seu 85.º aniversário, o tio Isaac, de Espinhoso, contou-nos que dia 9 de Abril fez 100 anos que o seu pai foi ferido na batalha de La Lys. Continuando com os que festejaram a vida na passada semana, contam-se a tia Ana Marcos (85), de Saldanha (Mogadouro); a tia Teresa Tomeno (78), de Bragança; o tio Ramiro (66), do Castro (Vinhais); o tio Belmiro dos Santos (72), de Grijó (Bragança); a tia Natividade (78), de Sobreiró de Baixo; o tio Carlos Alberto (47), de Vilarandelo (Valpaços); o Cristiano (24) de Rebordelo (Vinhais); o tio Domingos Meirinhos (81), de Bragança e a tia Joaquina (68), de S. Julião (Bragança). Parabéns e muita saúde para todos.
Agora vamos falar de dois casais que comemoraram as suas Bodas de Ouro com grande festa.

Uma viagem à terra dos nossos compadres...

Olá familiazinha.
Vai fazer um mês desde que entrou a Primavera, mas pediu logo licença sem vencimento. A terra está muito pesada e a vontade de a trabalhar é grande. Este ano já se fez muita cinza e gastou-se mais lenha do que o habitual. Agora aguarda-se que a Primavera comece a trabalhar no activo.
A rádio família continua e, além de festejar a vida e chorar a morte, os tios e tias também compartilham as suas preocupações e problemas de saúde connosco. Na passada semana o tio Rui Reis, de Vale da Madre (Mogadouro), ligou-nos muito preocupado e com as lágrimas nos olhos, informando-nos que a sua filha, Ana Beatriz, de 5 anos, ia ser operada no Hospital de Santo António a um nódulo no peito. A família acendeu velas e rezou as suas orações para que a operação fosse um êxito.
Quem já está fora de perigo e a frequentar novamente a escola é a netinha do nosso tio Acácio, de Alfaião, depois de ter estado hospitalizada alguns meses com uma doença desconhecida. A todos os doentes desejamos rápidas melhoras.
A tia Rosalina, de Rebordelo, deu-nos conta de mais uma tragédia ligada às lareiras pois, na quarta feira, à tardinha, uma senhora daquela aldeia foi encontrada pelo seu filho, à entrada da porta de casa, queimada e já sem vida. Começa a ser preocupante o número de casos idênticos que têm acontecido nos últimos meses na nossa região.
Na última semana o nosso ministro dos parabéns, o João André, cantou para os seguintes aniversariantes: Maria Teixeira (68), de Parada (Bragança); tio Agostinho do realejo (71), de Vila Boa (Bragança), emigrado em França; a tia Carmelina (77), de Vila Boa (Bragança) e a Amélia Martins (75), de Bragança.
Agora vamos até ao interior do Alentejo.
Chegou o momento de irmos para fora cá dentro.

A forja: o escritório do ferro...

Olá familiazinha!
A nossa gente está em pulgas para começar a trabalhar nos escritórios da terra, mas como a seca foi grande e as orações para que chovesse foram muitas e a todos os santos, agora se cada um fizer chover um dia, ainda vamos ter chuva para dar e vender…
Na última semana tivemos os relatos diários e em directo do nosso tio Hélder Magnífico, de Braga, que foi a pé a Santiago de Compostela com mais dois amigos, o Hélder Sequeira e o Carlos. Todos os dias nos mantinham informados de como estava a decorrer a sua peregrinação. De Braga a Santiago percorreram 190 quilómetros em cinco dias, chegando à catedral de Santiago no dia 5 de Abril, quinta-feira, às 16:30 horas, momento que também quiseram partilhar comigo através de telemóvel. Muitos foram os tios e tias que os animaram com as suas mensagens de apoio, canções e músicas, para que o caminho não lhes rendesse tanto. Ouviram-nos diariamente durante a sua peregrinação pelos caminhos de Santiago.
No dia 6 de Abril também compartilhei as minhas Bodas de Crisopázio (27 anos de casado) com a nossa família, que nos encheu de mimos e nos desejou que “sempre dure o pão da boda”. Bem haja a todos por fazerem parte da nossa vida.
Estiveram de parabéns a senhora minha sogra, a nossa tia Sarinha (66), de Caravela (Bragança); a tia Maria Alice (97), de Podence (Macedo de Cavaleiros); as duas maninhas, Fátima (53) e Ana Maria (57), de Vale de Lamas (Bragança); Manuel Farruquinho (62), de Coelhoso (Bragança), emigrado em França; o tio Carlos Andrade (80), de Valongo dos Azeites (S. João da Pesqueira); a tia Etelinda Bastos (59), de Bragança; a tia Catarina Freitas (83), de Caravela (Bragança) e a tia Antónia (69), de Deilão (Bragança). Para todos muita saúde e que coza o forno e o pão seja nosso.

A tradição da bênção das casas ainda se mantém em muitos lares

Olá familiazinha!
Boas festas da Sagrada Ressurreição de Nosso Sr. Jesus Cristo. Entrámos no mês de Abril e estamos na semana da Páscoa, a caminho da Pascoela.