Tio João

O gosto de viver Agosto

Olá gente boa e amiga!
Já estamos a viver o mês que para muitos é o rei do calendário. É o mês em que a maior parte daqueles que estão ausentes da sua terra à procura do ganha-pão, regressam para as suas férias merecidas e para matar saudades pois o ponteiro já estava no vermelho.
O rosto dos emigrantes transpira alegria. As nossas localidades, que ao longo do ano parecem desertas têm agora muita vida. Em algumas localidades, como é o caso de Caravela, na Lombada – Bragança, há mais crianças agora do que habitantes no resto do ano e muitas são as que duplicam ou mesmo triplicam.

O reino maravilhoso dos avós

Olá minha boa gente,

É bom saber que há cada vez mais pessoas que nos lêem. Aproveitamos sempre esta página para tentarmos fazer dela o “reflexo” do que semanalmente acontece nos nossos programas radiofónicos. Sinto que também estamos a conseguir fazer nova família através desta página do jornal.

Em forma de balanço do mês que hoje termina já posso dizer que Julho foi o mais participativo de todos, ao longo dos quase 29 anos da nossa existência. Temos tido novas caras e novos corações que estão a dar mais vida à nossa família.

No Domingo passado tivemos mais um dia grande. Comemoraram-se as bodas de ouro matrimoniais do tio Fernandinho Moita e da tia Candidinha, do Felgar (Torre de Moncorvo),“és tão linda, ó minha aldeia!” A cerimónia realizou-se no santuário de Nossa Senhora do Amparo, onde há vinte anos, através do tio Fernandinho Moita, realizámos um Piquenicão. Desde o início do nosso programa que este tio ficou nomeado como presidente do amor e da amizade da família. Foram muitos os tios e tias que estiveram presente na cerimónia, pois os homenageados também têm feito sempre questão de estar presentes em todos os eventos para os quais têm sido convidados. Que o pão da boda continue e a saúde também.

De parabéns também estiveram, na última semana, a Inês Isabel (15), de Rio Frio (Bragança); Júlia (58), de Tuizelo (Vinhais); Fernanda (73), de Penela da Beira (Penedono – Viseu); Hilário (67) e Ana Bela (39), pais e filha, de Nuzedo de Cima (Vinhais); Liberdade Jantaradas (78), de Sendim (Miranda do Douro); Domingos Romão (53), de Caravela (Bragança); Inácio (75), de Santulhão (Vimioso); Manuel (49), de Amendoeira (Macedo de Cavaleiros); José Manuel (67), de Ifanes (Miranda do Douro) e a tia Aurorinha (72), da Póvoa (Miranda do Douro); Guilherme Henrique (83), de Stª. Eugénia (Alijó). Muita saúde para todos e que para o ano voltem a festejar o aniversário connosco.

Porque mais de 80% daqueles que nos ouvem e participam são avós, e o seu dia se comemorou na passada quinta-feira, dedico esta página àqueles que são os segundos pais.

As marcas deixadas pelo Marco

Então como vai a nossa família?

Nas últimas duas semanas, a nossa região tem sido fustigada pelas trovoadas.

As populações aproveitam agora o bom tempo para ‘amanhar’ os estragos das fúrias da naturaza. Em localidades como Talhinhas (Macedo de Cavaleiros) houve enxurradas e inundações, assim como em Caravela (Bragança), onde foi necessário reunir o povo para limpar caminhos e outros locais públicos, como documenta a foto.

Esta semana estiveram de parabéns António Machado (71), de Parada (Bragança); Tio Minga (74), de Santa Valha (Valpaços); Maria do Amparo (90), de Rebordelo (Vinhais); António Manuel Alves (61), de Santulhão (Vimioso); Flávio Daniel (18), de Cernadela (Macedo de Cavaleiros); Verónica (25), de Esturãos (Valpaços) e Mariza (38), de S. Pedro da Veiga do Lila (Valpaços).

Quem anda a marcar golos na baliza do nosso coração é o Marco, de Esturãos (Valpaços). Vamos conhecê-lo um pouco melhor.

Mãos que endireitam

Olá familiazinha!

Já só faltam cerca de três meses para eu completar 29 anos a animar a Família do Tio João e nunca me tinha acontecido, como na quarta-feira passada. Nesse dia trabalhei, das 6 às 8 da manhã, debaixo de uma grande trovoada, mas a emissão não foi abaixo, como tem acontecido sempre nestas situações.

Os nossos participantes iam relatando em directo o que se estava a passar nos locais de onde nos ligavam. Foi o caso da tia Fátima, de Viduedo (Bragança), que nos falou directamente da igreja matriz, onde tinha colocado o Menino Jesus à entrada da porta para afastar a trovoada. Também a tia Helena Romão e o tio Lita, de Caravela (Bragança), nos contaram, com lágrimas nos olhos, que a aldeia estava debaixo de uma chuva de pedras que durou cerca de 20 minutos, destruindo toda a produção agrícola e provocando inundações em muitas habitações.

Na sexta feira, dia 13, entrou a lua nova e troada. Será que vai estar 30 dias baralhada?

A tia Neves, de Nuzedo de Baixo (Vinhais), na sua participação, disse-me que andava engarrada com um exército e não sabia de onde diabo saíam tantos soldados!... Fiquei sem saber de que trabalho agrícola estaria ela a falar, até que me explicou que andava a arrancar as ervas daninhas, que são a maior produção agrícola deste ano.

No dia 11 faleceu o tio Carlos Frias, com 54 anos, um dos membros mais antigos da família, marido da nossa tia Barbarinha. Também o meu bairro ficou mais pobre com o falecimento da Antónia Campos, de 54 anos, vítima de doença. No espaço de um ano faleceu a sua mãe, o seu pai e agora ela, deixando um filho de 22 anos, entregue à vida. Paz às suas almas e os sentimentos às famílias enlutadas.

O casal Humberto Almeida e Vitória Romão festejaram as suas Bodas de Ouro Matrimoniais no passado sábado. Que continue o pão da boda.

Estiveram de parabéns Celeste Fidalgo (77), de Grijó (Bragança); Armindo Miraco (75), de Vinhais; Luís Rodrigues (42), de Viduedo (Bragança); tio Neca Gaiteiro (83), de Romariz (Vinhais); Paulo Coelho (31), de Castedo (Torre de Moncorvo); Regina Cordeiro (90), de Coelhoso (Bragança) e Rita (74), de Vale de Frades (Vimioso). Agora vamos conhecer melhor o meu tio “endireita”, António Lopes.

A arte da cantaria em Bragança

Olá familiazinha!

O mês de Julho entrou troado, mas o sol promete secar o feno que ainda não estava segado. Por isso, como dizem alguns dos nossos tios: “quem o tem, que o segue!”.

Os entendidos do tempo não prevêem chuva para as próximas duas semanas e por causa disso é que os escritórios da terra vão dar muito que fazer aos nossos tios e tias nos próximos tempos. É altura de matar a bicharada, nomeadamente o escaravelho da batata, pois como nos contou a tia Maria Lúcia, de Pinelo (Vimioso), anda “diariamente a fazer a eutanásia dos mal desejados da minha horta”, pois não quer usar remédios químicos e por isso é à mão e um a um que lhes atalha a vida.

Na última semana tivemos uma apresentação de um jovem de 14 anos, que estava, juntamente com o seu cão, a pastorear 216 ovelhas. Referimo-nos ao nosso primo Hugo, de Quirás (Vinhais), que embora ainda estude, aproveita as férias para tirar o curso do pastoreio. Temos percebido que há jovens que continuam a ajudar os pais nos trabalhos agrícolas, o que é muito bom porque os prepara para a vida.

Quem continua a lutar pela vida é o nosso tio Carlos, pastor de Cavages – Vale de Janeiro (Vinhais), que depois de ter estado internado três semanas no hospital de Bragança, foi transportado de helicóptero, no passado dia 5, para o Porto, onde foi operado ao coração. Que Deus o ajude.

Nos aniversariantes, começo por felicitar os 63 anos do nosso tio Manuel da Torrié (Murça), que respira Família do Tio João por todos os poros, pois como todos sabemos é vendedor de café e por onde passa espalha o amor e amizade desta família. Parabéns grande amigo. Estiveram também de parabéns Amélia Machado (62), das Quintas da Seara (Bragança); Norberto Castro (34), Seara Velha (Chaves); Glória (67), do Zoio (Bragança); Carlos Miranda (50), de Castedo (Torre de Moncorvo); Vera Marisa (37), Rio Frio (Bragança); Maria Cristina (65), Samil (Bragança); Vitória Romão (84), Caravela (Bragança); Tiago (27), Zoio (Bragança); Elisabete (42),

S. Martinho (Miranda do Douro); Isabel (40), Alfaião (Bragança) e Ilda (73), de Vale de Figueira (Tabuaço).

Agora vamos conhecer uma profissão que está quase extinta, que é a dos canteiros, os doutores da cantaria.

Férias em família: Um cruzeiro em terra firme

Olá familiazinha!

Estamos no meio do ano e eu festejo meio século…

Quando nascemos nunca sabemos onde chegamos e já cheguei a meio da etapa, também sou dos tais que “se não morrer antes também chego aos 100”. Como envelhecer é a única maneira que se conhece de viver mais anos, tenho a satisfação de o poder fazer acompanhado com pessoas com muita mais experiência do que eu, que enriquecem a minha maneira de enfrentar a vida.

Durante a última semana tive as melhores férias de sempre, com as melhores pessoas de sempre. Embora privado de comunicar para milhares de pessoas, fi-lo durante 8 dias ao vivo e para o coração de 53 amigos da família.

Desconheço alguns elementos da família que estiveram

de aniversário, mas sei que a tia Leardina Reis, de Valpaço

(Vinhais), também festejou connosco os seus 66 anos.

No dia 28 de Junho festejaram a sua vida, tal como eu, Carlos da Grua, de Grijó (Macedo de Cavaleiros), emigrado em Zurique e que fala connosco encarrapitado, a 80 metros de altura e também o Martim, que fez 7 anos e é neto do nosso tio Alcino Silva, da vila de Vinhais, a quem disse que o neto ia nascer no mesmo dia que eu e assim se concretizou.

Quem chegou também ao meio século foi o tio Alfredo, marido da Irene Farruquinha.

Parabéns a todos, em especial àqueles que tiveram a felicidade de nascer em 68 e que celebram meio século.

Vamos todos ao feno!

Olá familiazinha!

Não há festa como a nossa!

Olá familiazinha!

É bom ouvir a expressão “Nunca falhei a nenhum, Tio João! Deus tem-me ajudado e tenho vindo a todos!”. Claro que a lista daqueles que foram a todos os Piquenicões é reduzida, visto que o primeiro se realizou no dia 16 de Setembro de 1990 e desde então para cá, muitos foram os que nos deixaram.

O Verão já chegou, embora só entre oficialmente no próximo dia 21. O nosso pessoal da agricultura diz-nos

que anda como os barbeiros a cortar as ervas à terra. Também os nossos tios pastores nos contam que o feno está todo ‘encostado’, porque já estava pronto e com as últimas chuvadas tombou.

Quem está a viver dias difíceis é a nossa ministra da saúde, a tia Maria da Perna Gorda, de Castelãos (Macedo de Cavaleiros), a grande mulher que visita todos os doentes da família no Hospital de Macedo de Cavaleiros e que confidenciou à nossa família que o seu esposo, o tio Francisco, tem um problema na garganta e depois de ter sido operado fala por um aparelho. Muitos foram os incentivos de ânimo dos ouvintes do programa

para com a nossa tia Maria, que precisa da nossa amizade.

Na última semana festejaram a vida com a família a Filomena dos Anjos (70), de Vila Nova (Bragança); Cristina (37), de Izeda (Bragança); Antónia (79), de Duas Igrejas (Miranda do Douro); Susana (56), de Coelhoso (Bragança); Pedro Marques (16), da Paradinha Nova (Bragança); Diogo Miguel (16), dos Possacos (Valpaços); Irene Castro (26), de Sendim (Miranda do Douro); António João (56) e o seu irmão, Júlio Dinis (58) de Samil (Bragança); Tio Carmim (67), de Estorãos (Valpaços), que festejou o seu aniversário no Piquenicão e, por fim, a ministra da oração, a tia Áurea (76), da Especiosa (Miranda do Douro), com a particularidade de ter vivido o seu aniversário rezando-nos as orações da manhã e logo depois ouvindo as suas amigas mirandesas felicitá-la através da rádio. Nesse programa tivemos 20 participações femininas e só 6 masculinas.

Agora deixo-vos com um cheirinho daquilo que foi mais um Piquenicão da Família do Tio João, a festa por excelência do nosso povo.

O Piquenicão é já no próximo Domingo na Sr.ª da Assunção

Olá familiazinha!

Antes de mais, uma saudação amiga a todos aqueles que nos lêem no estrangeiro, pois comemorámos, no domingo passado, o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas. É muito bom ouvir dizer aos nossos emigrantes que nos escutam em suas casas onde quer que estejam, porque assim é um bocadinho como viverem nas suas terras. O tio Luís, pastor de Moás (Vinhais), disse-nos que agora os pastores andam a dar banho às ovelhas. O facto é que já não me lembro de ter visto as chaminés a fumegar em pleno mês de Junho. Mas, com a bênção dos santos populares não há previsão de mais chuva nos próximos dias.

Quem nos deixou a todos boquiabertos foi a nossa tia Cristina, padeira de Argozelo (Vimioso), quando nos disse que tem uma porca com quatro anos e meio, que já pariu nove vezes e trouxe 18 a 20 leitões de cada vez, sendo que alguns têm de ser criados a biberão com leite de cabra. Esta sim! é uma porca de fazer dinheiro.

Quando eu era criança tive de ser criado pelos meus avós porque a minha mãe era muito doente. Esteve internada durante ano e meio, quando abriu o hospital de Bragança e chegou a pesar 36 quilos.

Esteve despedida dos médicos, o facto é que festejou no passado dia 7 de Junho 78 anos. É caso para dizer “mulher doente, mulher para sempre!”. Penso que a melhor prenda para a minha mãe era ter saúde, porque já fez muitas cadeiras da universidade do sofrimento.

De parabéns também estiveram a ministra dos aniversários, tia Silvina(56), de Vila Seca (Armamar)Maria José (73), das Quintas da Seara (Bragança); Amadeu Rocha (83), de Salsas (Bragança); Manuel António (38), de Vinhais; Leonel Lázaro (44), de Souto da Velha (Torre de Moncorvo); Jéssica Costa (11), de Ervões (Valpaços); Maria do Carmo Azevedo (60), de Penas Roias (Mogadouro); Fernando Rocha Lopes (70), de Salsas (Bragança); Manuel Drulovik (48) de Esturãos (Valpaços); Fátima (81), de Ala (Macedo de Cavaleiros); Delmino Vaz (66), de Grijó de Parada e por fim, a nossa pastora, Maria da Glória, de Vilar Seco (Vimioso) que fez 60 anos e teve a surpresa da presença no seu aniversário de todos os seus filhos emigrados. Que continuemos a poder festejar a vida de todos estes nossos amigos. E agora vamos aos exercícios de aquecimento para o 29.º Piquenicão da nossa família.

A subida à “bandeira” e as passadeiras de flores nas tradições do Corpo de Deus

Olá familiazinha!

Chegou o mês de Junho onde vão reinar os santos populares e no terceiro domingo se vai realizar o XXIX Piquenicão da Família do Tio João, em Vilas Boas (Vila Flor) no santuário de Nossa Senhora da Assunção, esse lugar de paisagens deslumbrantes, onde vamos regressar 20 anos depois. Também foi lá que festejei os meus trinta anos de idade.

A nível agrícola, o tio Manuel Drulovik, de Estorãos (Valpaços) disse-nos que “em Maio semeamos, em Junho arrancamos… a erva, que é a maior produção deste ano!...”. O tempo promete estar instável até à entrada da lua nova, a 13 deste mês, visto que na última houve trovoada. Na última semana batemos todos os recordes de participações, com 225 numa semana, sendo que só no dia do Corpo de Deus tivemos 65.

Vivemos momentos de alegria com a notícia de que a neta do tio Sebastião José Eira Velha, de Cernadela (Macedo de Cavaleiros), já saiu do coma e está a recuperar muito bem. Também a neta de 13 anos do tio Acácio, de Alfaião (Bragança), está quase totalmente recuperada, tendo já voltado à vida estudantil.

Em contrapartida, a tia Idalina Rosa, de Bragança, que toda a família acompanhou durante os últimos anos na grande luta que teve contra a doença que a vitimou, chegou ao fim o seu sofrimento. Também o tio Benjamim, da Quadra (Vinhais), se despediu da vida. Vamos recordá-los para sempre com dois grandes elementos da família. Paz às suas almas e os sentimentos às famílias enlutadas. Durante os últimos dias muitas foram as caras conhecidas da nossa família que estiveram de aniversário: A tia Lurdes Pires (92), de Bragança; Filipe Falcão (58), Caçarelhos (Vimioso); António Alemão (74), Mogadouro; Carla Pinela (47), Sacoias (Bragança); Rui Almeida (59), Bragança; Carlos Pires (55), Mirandela; António Pereira (87), Torre de Dona Chama (Mirandela); Luís Portela (75), Zoio (Bragança); Arminda Pires (65), Freixedelo (Bragança); Carlos Sarmento (60), Cabages (Vinhais); o concertinista que vamos conhecer no piquenicão, José Miguel (14), de Tinhela (Valpaços) e o casal Sezisnando e Irene, de Canavezes (Valpaços) que festejaram as suas bodas de ouro matrimoniais. A todos muitos parabéns cheios de saúde.

Agora deixo-vos com algumas das tradições do dia do Corpo de Deus que ainda se realizam nas nossas terras.