O gosto de viver Agosto

Ter, 07/08/2018 - 14:29


Olá gente boa e amiga!
Já estamos a viver o mês que para muitos é o rei do calendário. É o mês em que a maior parte daqueles que estão ausentes da sua terra à procura do ganha-pão, regressam para as suas férias merecidas e para matar saudades pois o ponteiro já estava no vermelho.
O rosto dos emigrantes transpira alegria. As nossas localidades, que ao longo do ano parecem desertas têm agora muita vida. Em algumas localidades, como é o caso de Caravela, na Lombada – Bragança, há mais crianças agora do que habitantes no resto do ano e muitas são as que duplicam ou mesmo triplicam.
Em Agosto não há Santo que não tenha festa por bem pequena que seja a aldeia. Todos os dias (seja semana ou fim de semana) há algo que festejar, seja o casamento do emigrante que faz questão de casar na terra natal, baptizar os filhos, reunir familiares nas festas e romarias que acontecem diariamente.
Andávamos por ai a chorar pelos cantos que este ano ainda não tinha vindo o verão, mas como diz o ditado popular” seja o ano que for o Agosto quer calor”.
No dia-a-dia da nossa família radiofónica tem reinado as participações muito apreciadas dos nossos tios Horácio, de Rio Torto, Marco, de Estorãos e António Cavalheiro, de Vilarandelo, todos do concelho de Valpaços que a cantarolar, versejando, vão saudando vários membros da família. Quem anima também muito a família é o pastor Paulo de Brunhosinho, Mogadouro, que na sua última canção terminou com a quadra “ quando eu morrer, quero levar no meu caixão, rádio e telemóvel, para falar com o tio João”. Digo eu que isto pode virar moda, o que não sei é se há rede!...
No dia 4 de Agosto esteve de aniversário a minha senhora esposa, a melhor companheira da estrada da minha vida, a tia Leninha. Teve nesse dia muito miminho da nossa família, o que agradece com muito carinho o que fez bater mais um record de participações(66). A semana passada também festejaram a sua vida, Eurico (97), Ribeirinha (Mirandela); Elizabete Lázaro (50), Souto da Velha (Moncorvo); José Carlos Pinto (64), Tabuaço; José Gonçalves (36), Gralhós (Macedo de Cavaleiros);José Manuel (54), Coelhoso (Bragança); José Luís (59), Melhe (Bragança); David (9), Bragança; Catarina Alexandra (12), Bragança; Augusto Folgada(50), Lodares (Vila Real); João Lucas (48), Paredes (Bragança) Miguel, o nosso menino especial de Vila Verde (Vinhais) e Ana Maria (58), mãe do nosso Marco de Estorãos (Valpaços). Para todos estes membros da família muita saúde para poderem festejar connosco mais um ano de vida. Foi esta também uma das semanas com mais aniversários na família.

Agora vamos ao especial domingão da família do tio João.
É em Agosto, no primeiro domingo, que se realiza a feira do azeite e do pão que já vai na sua 5ª edição. Este ano o presidente da junta de Macedo do Mato, Frieira e Sanceriz apostou na promoção do evento através do domingão do tio João em directo das 6h às 10h ,do recinto da feira. Confesso que fazer um programa de rádio nesse horário no verão ou no inverno é muito diferente, pois a partir das  6h já se vê vida. A nossa missão é incentivar os nossos ouvintes a visitar o evento.
Às 5h30 da manhã já lá estava a tia Ildinha, embaixatriz dessa terra para a família do tio João. Ficou sempre ligada à família depois de ter perdido uma vaca. Depois de apelos no programa apareceu dali a 12 dias a cerca de 200km de distância de Macedo do Mato. Foi ela e a sua conterrânea Isabel Morais que rezaram em directo as orações da manhã.
Foram muitos os emigrantes que nos surpreenderam com a sua visita: o Leonel Farruquinho, de Coelhoso, o Carlos da grua, de Grijó e o filho da saudosa tia Emília da Eira, Vítor Marta, que nos ouve diariamente através da internet ao comando das máquinas dos jardins do Palácio de Versailles. Gostei imenso de o conhecer e convidei-o para nos demostrar o seu trabalho. 
Nesta feira fiquei a conhecer também o pão de abobora e o pão de beterraba e em conversa com Vítor Batista, da Arvólea, de Macedo do Mato, percebi que a produção de azeite devidamente acompanhada pelo IPB permitiu apurar a maior qualidade do produto, já reconhecida em três prémios obtidos em concursos internacionais na colheita 2017/2018 em Portugal ,no Japão e em Inglaterra .
A Arvólea tem como principal objectivo a valorização da oliveira santulhana. Trata-se não só de provar a boa qualidade dos seus azeites como valorizar toda a sua potencialidade da raiz ao fruto da oliveira.
Passámos uma manhã de domingo em grande, um domingão animado com 47 participações e a animação no local com as Concertinas Brigantinas, angariando mais 2 participações das quais um filho da terra que nos mostrou o seu talento na guitarra portuguesa. E os programas em direto continuam já no próximo sábado, em Santulhão, a promover as suas festas.
Até lá…