PUB.

Lamas abandona campo

PUB.

Ter, 10/01/2006 - 16:36


O Lamas abandonou o campo do Vimioso durante a partida que decorreu, anteontem, frente ao Argozelo, num jogo a contar para a 10ª jornada do distrital da Divisão de Honra da Associação de Futebol de Bragança.

A história começa na 1ª parte, com os lamecenses a chegar aos 2-0 com, apenas, dez elementos no terreno de jogo.
Na 2ª parte, a situação agudizou-se com a expulsão de mais dois elementos da equipa do concelho de Macedo de Cavaleiros. O Argozelo chegou ao empate, mas, no lance em que ditou o 2-2, a polémica rebentou.
Na óptica do dirigente do Lamas, Manuel Piçarra, o golo terá sido ilegal. “O auxiliar levantou a bandeirola, assinalando fora de jogo, mas o juiz João Correia deu o golo por válido. Os meus jogadores não aguentaram a injustiça e cercaram o juiz, o que deu origem a mais duas expulsões”, acrescentou o responsável.
Manuel Piçarra afirmou, ainda, que decidiu chamar os atletas para evitar chatices. “Fui eu próprio que mandei os jogadores para o balneário, porque era melhor ir embora do que arranjar chatices”, concluiu o responsável do Lamas.
Para o dirigente, o seu clube é o melhor a jogar futebol e não percebe a razão desta “perseguição”.
“Já não é a primeira vez e, se quiserem, vou-me embora do futebol, mas não acabem com o clube. Os jogadores não ganham nada e, se não tenho dinheiro para eles, também não tenho para os árbitros”, desabafa Manuel Piçarra.
O dirigente do clube adianta, ainda, que o clube não pode acabar por causa desta “vergonha”. “Vou pedir uma reunião urgente com os dirigentes da Associação de Futebol de Bragança e esclarecer tudo isto e se quiserem vou-me embora”, acrescentou.
O Lamas vai, agora, enfrentar o relatório do juiz da partida que, segundo o presidente do Argozelo, António José Pimentel, esperou 5” para que o Lamas regressasse.
O responsável pelo Argozelo confirma as palavras de Manuel Piçarra e fica contente em não ter havido problemas com o seu clube, pois ultimamente o Argozelo tem andado nas bocas do mundo, mas desta vez tudo terminou em paz. O responsável lamenta, também, a situação vivida pelo Lamas.