Caretos de Podence queimam Entrudo para mandar embora o vírus

Qua, 17/02/2021 - 10:44


Entrudo Chocalheiro reinventa-se para, de alguma forma, se cumprir a tradição.

O Entrudo Chocalheiro de Podence, em Macedo de Cavaleiros, este ano, foi obrigado a reinventar-se para poder acontecer, ainda que, em moldes bastante diferentes daqueles a que os visitantes estão habituados.

Reconhecido, em Dezembro de 2019, como Património Imaterial Humanidade pela UNESCO, o Entrudo Chocalheiro de 2021 não apelou a visitações nem tão pouco prometeu a habitual folia de outros anos. Assim, por causa da pandemia, que marcou e marca tempos atípicos, este ano os caretos não saíram à rua, como, de resto, acontece anualmente. Apesar de tudo, os célebres mascarados apareceram à varanda, marcando a quadra mais aguardada pela população de Podence. Os mascarados começaram a festa este domingo e estenderam-na até ao fim do dia de hoje, sob um forte apelo do presidente da Associação Grupo dos Caretos de Podence a que os visitantes não rumem à aldeia. “Isto não é uma comemoração, é sim uma forma de assinalar a tradição que nos enche de muito orgulho, quer a Podence, quer a todo o território de Macedo de Cavaleiros”, esclareceu António Carneiro.

No Domingo Gordo, dia 14, os caretos permaneceram apenas nas varandas, vestidos com os seus trajes e a saltitar, lembrando que são tempos de Carnaval. Já segunda-feira, juntando oradores da Bélgica, Grécia, França, Colômbia, Brasil e Espanha, houve espaço para um webinar, que serviu para discutir a celebração em diferentes culturas. Esta iniciativa online contou com a organização da Câmara Munipal de Macedo de Cavaleiros, a Associação Grupo de Caretos de Podence, o COLAB MORE — Montanhas de Investigação e a Fundação INATEL. Quanto a terça-feira, dia de Carnaval, os próprios caretos inauguraram, a partir das 17h30, um mural, chamado “Sentir Portugal”, como forma de honrar o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que no ano passado esteve em Podence, na celebração, por causa da distinção atribuída pela UNESCO. “É uma homenagem que ficará patente numa das praças da aldeia”, vincou António Carneiro. A celebração, este ano, será marcada pela queima do Entrudo, o ritual que serve para mandar embora o mal e trazer, de volta, a luz. Em tempos de pandemia, por Podence, os caretos acreditam que o rito servirá para acabar com a pandemia, queimando o vírus que tem assolado o mundo.

Além deste conjunto de iniciativas, em jeito de se aproximarem do público, visitantes e população, os caretos lançaram um concurso de fotografia online, que terminou sábado. A “Tradição de um Povo” habilitou a prémios os que tiveram as melhores imagens capturadas no Entrudo de Podence, tendo a votação ficado ao critério do público. A fotografia que reuniu mais “likes” deu acesso a uma viagem internacional, integrada na comitiva dos Caretos, ao participante. As actividades do Entrudo Chocalheiro poderão ser acompanhadas através da página oficial de Facebook do grupo. Em 2020, na primeira vez em que o Entrudo Chocalheiro de Podence se celebrou com a distinção da UNESCO, à aldeia do concelho de Macedo rumaram mais de 70 mil pessoas para ver os mascarados.

Jornalista: 
Carina Alves