Opinião

19/07/2016

Perante mais um bárbaro ataque terrorista, desta feita em Nice, são, tal como a muitos dos comuns cidadãos, várias as interrogações, angústias e sentimentos que me assolam. Alguns deles parecem-me normais, outros inquietam-me havendo ainda os que me deixam perplexo.

19/07/2016

A vida de um professor apaixonado pela sua profissão encontra muitos momentos de inteira satisfação, mas inúmeras frustrações vão inundando também os seus dias.

19/07/2016

O Verão ganhou o apodo de estação maluca porque segundo críticos de olhar acerado, língua afiada, escrita tersa e acutilante, as pessoas ganham comportamentos esquisitos atribuídos às elevadas temperaturas alcançadas nos meses que lhe dão corpo.

19/07/2016

Não, não é o piropo lançado pelo jovem adulto à polícia boazona que fardada vigia as ruas da cidade. É sim o apelo de J. quando, mais uma vez, o carro da patrulha lhe intercepta a marcha após uma denúncia do roubo de um telemóvel numa superfície comercial. Coisa pouca de facto.

12/07/2016

A obra de Camille Pissarro é por demais conhecida, sendo ele considerado um dos fundadores do impressionismo. O próprio Henry Matisse lhe chamaria o Moisés da pintura contemporânea e Paul Cézame afirmava: - Todos descendemos de Pissarro.

12/07/2016

Espalhados pelos quatro cantos do globo, os portugueses marcam a sua presença e integram-se onde quer que estejam e sabem adaptar-se perfeitamente de tal modo que são respeitados por toda a parte.

12/07/2016

Há muitos anos que convivíamos diariamente com a personalidade política do Professor Aníbal Cavaco Silva. Uma figura austera, rígida que motivava receios e eliminava proximidades.

12/07/2016

As boas notícias sempre chegam a Trás-os-Montes, embora com atraso enfastiante, trazidas pelos diligentes jornais regionais, honra lhes seja feita, que o proveito não é nenhum.

12/07/2016

Houve um tempo que comprava livros por necessidade de dar resposta a interesses no âmbito do conhecimento, ou das atividades de lazer.

05/07/2016

Com o início dos trabalhos de construção da Estação Ferroviária de Bragança a 20 de julho de 1903, no campo de Santo António, local fora da cidade, onde se acedia por caminho de terra batida, logo nesse dia a Câmara Municipal reivindicou que o governo mandasse construir uma avenida paralela à rua