Tradições locais e universais no Carnaval de Coelhoso

Qua, 06/03/2019 - 10:30


Olá gentinha boa e amiga. Já temos mais um Entrudo em cima!

Nos provérbios o nosso povo diz: “Carnaval na eira, Páscoa à lareira”; “farta-te gato que é dia de Entrudo”; “no Entrudo come-se de tudo” e “no Carnaval ninguém leva a mal”.

Nos últimos programas temos falado muito na quinta-feira das comadres e na quinta-feira dos compadres, que varia de terra para terra. Por exemplo, em Seara Velha (Chaves), já não se comemora a quinta-feira das comadres, mas sim a quinta-feira dos compadres, que é antes do Domingo Gordo. Segundo o tio Domingos Castro, este ano juntaram 31 compadres na aldeia, que foram jantar a um restaurante e cada um custeou a sua parte. Já a nossa tia Etelinda Bastos, de Vilar do Conde (Vila Pouca de Aguiar), disse-nos que na sua terra, antes do Domingo Gordo festejam a quinta-feira das comadres. Reunem-se na casa do povo da aldeia e cada uma leva um pedaço de carne de porco. Na maioria das localidades, primeiro celebra-se a quinta-feira das comadres, antes do Domingo Magro, porque estas são mais ‘lampeiras’.

No dia de Carnaval, a nível gastronómico, é tradição comer-se o butelo com cascas e muitas partes da carne do porco, pois o nosso povo também diz “alegrias de Entrudo que amanhã será cinza”, pois os católicos guardam jejum na quarta-feira de cinzas.

No passado fim-de-semana tivemos a primeira viagem do ano e fomos visitar a região do Dão. Estivemos em Nelas e Mangualde e no nosso hotel, em Canas de Senhorim. Fomos conhecer e provar os vinhos à adega do Dão e tivemos também direito a visitar a fábrica de queijos, onde fizemos provas de degustação. A noite de sábado foi animada com o jantar e baile de Carnaval e no Domingo assistimos ao cortejo de Carnaval de Canas de Senhorim. Mais uma vez fomos para fora cá dentro. Conhecer o nosso país é o nosso grande argumento.

Entretanto, a nossa cidade esteve muito animada com o «Festival do Butelo e das Casulas e Carnaval dos Caretos». No sábado teve lugar o desfile com os vários grupos de caretos, de Portugal e Espanha, pelas ruas da cidade, culminando com a Queima do Diabo, na Praça Cavaleiro de Ferreira.

Também no último fim-de-semana e até ao dia de Carnaval, a aldeia de Santulhão (Vimioso) se animou com a realização do «Festival de Entrudo». Nesta data, sem dúvida que a aldeia de Podence (Macedo de Cavaleiros) é a mais visitada por causa do «Entrudo Chocalheiro», com os seus tradicionais caretos, emblemáticos daquela aldeia.

Em quase todas as aldeias da nossa região o dia de Carnaval é um dia normal, em que as pessoas vão fazer as suas lides para os campos. São poucas as excepções em que a tradição de brincar ao Carnaval ainda permanece, com pessoas a vestirem-se de ‘matrafonas’ e outras figuras cómicas.

Já há alguns anos que a aldeia de Coelhoso (Bragança), festeja o seu Carnaval tradicional, no Domingo Gordo, com o «Enterro do Pai Fartura» e o concurso de máscaras, com prémios até ao terceiro lugar, numa iniciativa da Junta de Freguesia.

Este ano contaram com a animação de Higor Cerqueira, jovem brasileiro, estudante do curso de mestrado de Inovação e Empreendedorismo do IPB. Realizado pela «Umbu Produções», empresa que já há 5 anos realiza animações de performance, teatro e carnaval no Brasil e agora, presta serviços também em Portugal. Segundo o presidente da junta de Coelhoso, Paulo Veiga, a ideia desta iniciativa foi aliar o Carnaval tradicional ao Carnaval brasileiro, proporcionando às suas gentes atracções que envolvam o povo e tragam pessoas de fora à aldeia. Este ano as expectativas foram ultrapassadas, pois também foram muitos os estudantes do IPB, de várias nacionalidades, que aderiram à iniciativa. Para o ano o autaca está a pensar repetir esta iniciativa e, se possível, aumentar ainda mais o número de participantes.

Todas as semanas assinalamos nesta página os aniversários da nossa gente. Nos últimos dias estiveram de parabéns a tia Irene (79), de Samil (Bragança); a tia Adília (78), de Grijó (Bragança); Eliseu Fidalgo (48), de Paradinha Nova (Bragança); Isabel (77) e a sua filha Cláudia (46), de Estorãos (Valpaços); Maria Miranda (66), de Palácios (Bragança); Pedro Alexandre (45), de Serapicos (Valpaços); António Rodrigues (84), o nosso espanhol mais português, de Asturianos da Sanábria; tia Albertina (61), de S. Jumil (Vinhais); tio Luís Modinhas (80), de Paradinha de Outeiro (Bragança); Maria da Conceição (70), de Água Revés (Valpaços); tia Berta (93) e tia Fernanda (53), de Mosteiró (Mirandela); Zé Leonardo (85), de Grijó (Macedo de Cavaleiros); Ana Margarida (20), de Bragança; Paula Silva (51), de Vinhais; Ermelinda Tomeno (54), de Bragança; Laura (66), de Lagoas (Valpaços) e Benjamim (15), filho da nossa tia Irene da Suíça. A todos muita saúde e que consigam festejar o seu aniversário no próximo ano connosco.