O reino maravilhoso dos avós

Ter, 31/07/2018 - 15:36


Olá minha boa gente,

É bom saber que há cada vez mais pessoas que nos lêem. Aproveitamos sempre esta página para tentarmos fazer dela o “reflexo” do que semanalmente acontece nos nossos programas radiofónicos. Sinto que também estamos a conseguir fazer nova família através desta página do jornal.

Em forma de balanço do mês que hoje termina já posso dizer que Julho foi o mais participativo de todos, ao longo dos quase 29 anos da nossa existência. Temos tido novas caras e novos corações que estão a dar mais vida à nossa família.

No Domingo passado tivemos mais um dia grande. Comemoraram-se as bodas de ouro matrimoniais do tio Fernandinho Moita e da tia Candidinha, do Felgar (Torre de Moncorvo),“és tão linda, ó minha aldeia!” A cerimónia realizou-se no santuário de Nossa Senhora do Amparo, onde há vinte anos, através do tio Fernandinho Moita, realizámos um Piquenicão. Desde o início do nosso programa que este tio ficou nomeado como presidente do amor e da amizade da família. Foram muitos os tios e tias que estiveram presente na cerimónia, pois os homenageados também têm feito sempre questão de estar presentes em todos os eventos para os quais têm sido convidados. Que o pão da boda continue e a saúde também.

De parabéns também estiveram, na última semana, a Inês Isabel (15), de Rio Frio (Bragança); Júlia (58), de Tuizelo (Vinhais); Fernanda (73), de Penela da Beira (Penedono – Viseu); Hilário (67) e Ana Bela (39), pais e filha, de Nuzedo de Cima (Vinhais); Liberdade Jantaradas (78), de Sendim (Miranda do Douro); Domingos Romão (53), de Caravela (Bragança); Inácio (75), de Santulhão (Vimioso); Manuel (49), de Amendoeira (Macedo de Cavaleiros); José Manuel (67), de Ifanes (Miranda do Douro) e a tia Aurorinha (72), da Póvoa (Miranda do Douro); Guilherme Henrique (83), de Stª. Eugénia (Alijó). Muita saúde para todos e que para o ano voltem a festejar o aniversário connosco.

Porque mais de 80% daqueles que nos ouvem e participam são avós, e o seu dia se comemorou na passada quinta-feira, dedico esta página àqueles que são os segundos pais.

 

 

Comemora-se o Dia dos Avós em 26 de julho. Esse dia foi escolhido para a comemoração porque é o dia de Santa Ana e São Joaquim, pais de Maria (Nossa Senhora) e avós de Jesus Cristo. 

Conta a história que Ana e seu marido, Joaquim, viviam em Nazaré e não tinham filhos, mas sempre rezavam pedindo que o Senhor lhes enviasse uma criança. 

Apesar da idade avançada do casal, um anjo do Senhor apareceu e comunicou que Ana estava grávida, e eles tiveram a graça de ter uma menina abençoada a quem chamaram Maria. 

Devido à sua história, Santa Ana é considerada a padroeira das mulheres grávidas e dos que desejam ter filhos. 

Maria cresceu conhecendo e amando a Deus e foi por Ele a escolhida para ser Mãe do Seu Filho.

 São Joaquim e Santa Ana são os padroeiros dos avós.

As avós também são chamadas “segundas mães”, e muitas vezes estão ao lado e mesmo à frente da educação dos seus netos, com a sua sabedoria, experiência e com certeza um sentimento maravilhoso de vivenciar os frutos de seu fruto, ou seja, a continuidade das gerações.

Celebrar o Dia dos Avós significa celebrar a experiência de vida, reconhecer o valor da sabedoria adquirida, não apenas nos livros, nem nas escolas, mas no convívio com as pessoas e com a própria natureza.

Ainda me lembro de me ligar, nos primeiros programas que fiz, a jovem Ana Bela, de Paradinha Nova (Bragança), com os seus 16 anos de idade, que agora continua a participar mas, na condição de avó babada. Quem é uma ‘expert’ a criar netos é a tia Lurdes, de Pereiros (Carrazeda de Ansiães), pois já criou nove netos e nós temos acompanhado o seu crescimento.

Quem deixou tudo pelas suas 4 netas foi o tio Acácio e a sua esposa, de Alfaião (Bragança), que trocaram a sua vida rural pelo reboliço do Barreiro e assim ajudar os filhos na criação das netas. Segundo nos disse “quando eu morrer não posso levar as terras comigo, mas levo o amor que sempre dediquei às minhas netinhas”.

Também são avós a tempo inteiro o tio Teófilo Miranda e a sua esposa, tia Maria, de Gimonde (Bragança), que trocaram a sua aldeia pelo Porto, onde estão a dar uma ‘mãozinha’ aos filhos na criação dos netos.

Muitos mais são os casos de avós viúvas que vão viver com os filhos, alguns deles emigrados, para assim colaborarem na educação dos seus netos. Nesta altura de férias grandes, também são muitos os netos que vêm antes dos pais para junto dos seus avós para assim estarem mais tempo com eles e disfrutarem da sua companhia e dos seus carinhos.

A tia Ernestina, de Possacos, Valpaços, contou-nos que a sua mãe, fruto de nove filhos, teve 43 netos e 38 bisnetos. Até ver, a avó Isabel das Neves é a avó rainha da família.

O dia dos avós foi comemorado em grande no santuário de Santa Ana, em Meixedo (Bragança), onde houve a celebração da missa pela alma dos avós falecidos e acção de graças pelos avós e netos presentes, seguindo-se um jantar convívio de avós e netos, animado pelo nosso organista Francisco Cubo.

Os meus avós já os chamou Deus há muitos anos. Tive a felicidade de ser criado pelos meus avós paternos. Não sei se algum dia terei o privilégio de também eu vir a ser avô, porque felizes são os que chegam à condição de avós.