As marcas deixadas pelo Marco

Ter, 24/07/2018 - 10:10


Então como vai a nossa família?

Nas últimas duas semanas, a nossa região tem sido fustigada pelas trovoadas.

As populações aproveitam agora o bom tempo para ‘amanhar’ os estragos das fúrias da naturaza. Em localidades como Talhinhas (Macedo de Cavaleiros) houve enxurradas e inundações, assim como em Caravela (Bragança), onde foi necessário reunir o povo para limpar caminhos e outros locais públicos, como documenta a foto.

Esta semana estiveram de parabéns António Machado (71), de Parada (Bragança); Tio Minga (74), de Santa Valha (Valpaços); Maria do Amparo (90), de Rebordelo (Vinhais); António Manuel Alves (61), de Santulhão (Vimioso); Flávio Daniel (18), de Cernadela (Macedo de Cavaleiros); Verónica (25), de Esturãos (Valpaços) e Mariza (38), de S. Pedro da Veiga do Lila (Valpaços).

Quem anda a marcar golos na baliza do nosso coração é o Marco, de Esturãos (Valpaços). Vamos conhecê-lo um pouco melhor.

 

Desde criança que se habituou a acompanhar o seu pai, o nosso tio Américo, ouvindo-nos e marcando presença nas festas da família, mas só há muito pouco tempo é que se tornou um participante activo. Toda a família nutre por ele uma grande amizade e admiração. Por isso vamos conhecê-lo um pouco melhor, na primeira pessoa, aqui e agora.

“Chamo-me Marco Lopes, tenho 36 anos, nascido e criado na Aldeia de Esturãos, do concelho de Valpaços, onde resido actualmente com os meus pais. Estudei nas escolas do concelho de Valpaços até ao 12.° ano. Depois, fui continuar os meus estudos na cidade de  Bragança, onde tirei a licenciatura em Engenharia Agronómica, ramo Agro-indústrias, e pós graduação em Segurança Alimentar.

Hoje em dia trabalho num supermercado na cidade de Valpaços, visto que, infelizmente, nestas cidades do interior as ofertas de emprego são escassas e não posso trabalhar dentro da minha área. Como acho que não devemos abandonar o interior, faço o que é possível e mantenho-me aqui com todas as minhas forças. Desde os 15 anos que dou catequese e estive sempre ligado à igreja, fazendo parte do grupo coral e do grupo de leitores. Também sou tesoureiro da comissão fabriqueira e presidente da mesa de assembleia da Junta de Freguesia de Santiago da Ribeira de Alhariz. Estas actividades vou-as conciliando com a vida profissional. Sou um rapaz divertido e ando sempre a cantarolar, sou muito comunicativo. Nos tempos livres gosto de ouvir música, andar de bicicleta e fazer boas caminhadas.”

 

 

A caminhar nesta família...

De certeza que vamos a bom porto...

Cumprimentos à tia Umbelina de Sanjuzenda...

À tia Celeste de Serapicos e à tia Agostinha de Pai Torto...

 

Com o tio João acordamos bem dispostos...

Com o Manuel da Torrié vamos para a brincadeira...

Escutamos as palavras da Avó Laurinda...

Da tia Cassilda de Valpaço e da tia Ildinha de Vale Figueira...

 

A tia Arminda de Zava e o tio Fernando Correia...

Que falam sempre palavras de esperança...

Quem está sempre em cima dos acontecimentos...

É a tia Lurdinhas de Bragança...

 

Tia Maria da perna gorda...

Que eu quero saudar...

As melhoras para o tio Chico...

Nossas orações o vão ajudar...

 

Tia Corina de São Martinho e

[Deolinda de Friões...

Que nos acompanham nesta

[caminhada...

E lá vêm o tio Delmino e o tio Luís Modinhas...

E o Drulovic com a sua gargalhada...

 

Maria Rodrigues de Colónia da Alemanha...

Tia Rosinha dos Possacos e a tia Felisbina de Constantim...

Juntem-se à tia Xanqueira e à tia Diamantina de Canaveses...

E lembrem-se sempre de mim...

 

O Tio Acácio do Barreiro...

Que com o seu órgão nos encanta...

De Sobreiró de Baixo vem a tia Aidinha...

Que também ajuda à dança...

 

O amigo Telmo e o tio António de Genísio...

Suas palavras são brutais...

E para ajudar à jornada...

Vem o tio Alcino Silva, de Vinhais...

 

Tia Rosalina de Rebordelo, tia Aldinha e Zé Vieira...

É tudo gente meiga...

Quem sempre ajuda à festa...

É a Milu, a Leninha de Vilarandelo e a tia Ana Teiga...

 

O tio António Cavalheiro...

Que canta como a lei manda...

E as surpresas do tio Horácio de Rio Torto...

Mais as falas da tia Armanda...

 

A todos os emigrantes, os nossos pastores e os outros participantes...

Não vos esqueci, estais no meu coração...

Mas para a próxima falarei noutros...

Pois é tão grande a família do Tio João.

Participação radiofónica de Marco Lopes no dia 18 de Julho