PUB.

Ministro garante mais 300 camas para os alunos do IPB

Ter, 08/10/2019 - 15:41


Os alunos do Instituto Politécnico de Bragança vão poder contar com mais cerca de 300 camas nos próximos tempos.

A garantia foi deixada pelo Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, na sessão de boas vindas aos novos estudantes desta instituição, terça-feira passada, em Bragança. Segundo Manuel Heitor, está previsto que comecem ainda este ano obras para adaptar edifícios do Estado a residências de estudantes dado que o número de alunos no IPB tem vindo a crescer, situando-se agora perto dos nove mil alunos, conforme as contas deixadas pelo presidente da academia brigantia, também na sessão em causa. “Estamos a trabalhar com o politécnico e com a Fundiestamo (Sociedade Gestora de Fundos de Investimento Imobiliário). Irão ser iniciadas, já em 2019, obras para cerca de 80 camas e em 2020 para mais de cerca de 230, entre Bragança, Mirandela, Macedo de Cavaleiros e Chaves”, esclareceu o governante sobre este “processo colectivo”.

Jovens internacionais já são metade dos novos alunos

Entre a primeira e segunda fase do concurso nacional de acesso ao ensino superior, foram colocados no IPB mais de 1200 novos alunos. Segundo sublinhou o presidente do politécnico, Orlando Rodrigues, metade dos novos alunos são estudantes internacionais, sendo que a instituição conta assim com perto de 2200 novos estudantes. Pelas contas do presidente, terão entrado, de raiz, entre 600 a 700 e serão, mais ou menos, outros tantos, em mobilidade. “Não temos o número fechado. Este ano aumentámos muito as candidaturas, tivemos cerca de quatro para uma vaga”, assumiu. E é nos alunos estrangeiros que sustenta a resposta quando questionado acerca das vagas por preencher. “Temos sempre vagas que já sabemos que não preenchemos e não queremos preencher porque nos permite captar esta quantidade de alunos internacionais que temos”, frisou, mas não deixou de referir que, ainda assim, “o número de alunos no concurso nacional de acesso tem vindo a aumentar” e que estão entre as instituições que mais cresceram este ano em número de alunos. Apesar de seis cursos não terem tido, em nenhuma das duas fases, candidato algum, Orlando Rodrigues diz que os cursos estão “praticamente cheios” e que não há nenhum em “risco” de funcionamento por ter menos que dez alunos já que “os números ainda não estão fechados” e ainda se espera acolher mais algumas dezenas de estudantes vindos de outros países. Palavras de Orlando Rodrigues, durante a sessão, apoiadas por Manuel Heitor, que reforçou que o IPB, “é uma aposta ganha” e “é um exemplo para Portugal e para a Europa”, “mostra o que o ensino superior é um espaço de tolerância, liberdade e respeito uns pelos outros”. “Já não sei o que é começar um ano lectivo sem vir a Bragança”, disse ainda o ministro nesta sua passagem pela região para, à semelhança dos outros anos, caminhar com os alunos para conviver e conhecer alguns pontos da cidade.

Jornalista: 
Carina Alves