A subida à “bandeira” e as passadeiras de flores nas tradições do Corpo de Deus

Ter, 05/06/2018 - 11:04


Olá familiazinha!

Chegou o mês de Junho onde vão reinar os santos populares e no terceiro domingo se vai realizar o XXIX Piquenicão da Família do Tio João, em Vilas Boas (Vila Flor) no santuário de Nossa Senhora da Assunção, esse lugar de paisagens deslumbrantes, onde vamos regressar 20 anos depois. Também foi lá que festejei os meus trinta anos de idade.

A nível agrícola, o tio Manuel Drulovik, de Estorãos (Valpaços) disse-nos que “em Maio semeamos, em Junho arrancamos… a erva, que é a maior produção deste ano!...”. O tempo promete estar instável até à entrada da lua nova, a 13 deste mês, visto que na última houve trovoada. Na última semana batemos todos os recordes de participações, com 225 numa semana, sendo que só no dia do Corpo de Deus tivemos 65.

Vivemos momentos de alegria com a notícia de que a neta do tio Sebastião José Eira Velha, de Cernadela (Macedo de Cavaleiros), já saiu do coma e está a recuperar muito bem. Também a neta de 13 anos do tio Acácio, de Alfaião (Bragança), está quase totalmente recuperada, tendo já voltado à vida estudantil.

Em contrapartida, a tia Idalina Rosa, de Bragança, que toda a família acompanhou durante os últimos anos na grande luta que teve contra a doença que a vitimou, chegou ao fim o seu sofrimento. Também o tio Benjamim, da Quadra (Vinhais), se despediu da vida. Vamos recordá-los para sempre com dois grandes elementos da família. Paz às suas almas e os sentimentos às famílias enlutadas. Durante os últimos dias muitas foram as caras conhecidas da nossa família que estiveram de aniversário: A tia Lurdes Pires (92), de Bragança; Filipe Falcão (58), Caçarelhos (Vimioso); António Alemão (74), Mogadouro; Carla Pinela (47), Sacoias (Bragança); Rui Almeida (59), Bragança; Carlos Pires (55), Mirandela; António Pereira (87), Torre de Dona Chama (Mirandela); Luís Portela (75), Zoio (Bragança); Arminda Pires (65), Freixedelo (Bragança); Carlos Sarmento (60), Cabages (Vinhais); o concertinista que vamos conhecer no piquenicão, José Miguel (14), de Tinhela (Valpaços) e o casal Sezisnando e Irene, de Canavezes (Valpaços) que festejaram as suas bodas de ouro matrimoniais. A todos muitos parabéns cheios de saúde.

Agora deixo-vos com algumas das tradições do dia do Corpo de Deus que ainda se realizam nas nossas terras.

 

A festa do Corpo de Deus é celebrada 60 dias após a Páscoa, na quinta-feira seguinte ao Domingo da Santíssima Trindade. Em algumas localidades realiza-se a procissão do Corpo de Deus com honras de passadeiras de flores e verduras, como é o caso de Cela (Chaves), segundo nos contou a tia Mavilde: “Aqui na nossa terra começamos às 4 horas da manhã a fazer um quilómetro e meio de passadeira contínua, pois em algumas localidades a tradição é cada um fazer a passadeira só em frente da sua casa”.

Este ano as localidades de Seixo de Manhoses (Vila Flor) e Arcas (Macedo de Cavaleiros) reviveram a tradição que já há algum tampo não se realizava. Quem estava triste como a noite era a nossa tia Teresa, dos Alvaredos (Vinhais), porque este ano esta tradição não se realizou devido à doença do pároco da aldeia.

Em Grijó de Parada (Bragança), o dia do Corpo de Deus, além das cerimónias religiosas já citadas, também tem como tradição a festa da bandeira. O tio Delmino Vaz contou-nos que “é tradição, no dia anterior, a rapaziada ir à procura de um pinheiro ou choupo, o mais alto e direito que encontrarem”. Depois de o descascarem e ensebarem, é posto de pé no meio da aldeia e isso é a ‘bandeira’ e na ponta tem a ‘rosca’ que é um saco com um peixe de bacalhau, um bolo e uma garrafa de vinho do Porto ou whisky. É uma tarefa muito difícil trepar a ‘bandeira’ para reclamar o prémio, visto que o tronco está muito escorregadio para dificultar a tarefa aos participantes. Quem tem ganho nos últimos 19 anos e até parece que a idade não lhe pesa, é o António Vaz, filho do tio Delmino, que tem sido o único a conseguir chegar ao cimo e consequentemente a ganhar a ‘rosca’.

Para as pessoas da aldeia é uma tarde de convívio muito animada e bem passada.