Enfarte – cuide do seu coração

Conhecer e compreender os sinais de um enfarte e agir o mais rapidamente possível pode ser decisivo para salvar uma vida!

O que é um enfarte?

O enfarte agudo do miocárdio, ou ataque cardíaco, é uma emergência médica e requer tratamento imediato! Ocorre quando uma das artérias do coração fica obstruída, o que faz com que uma parte do músculo cardíaco fique em sofrimento por falta de oxigénio e nutrientes. Esta obstrução é habitualmente causada pela formação de um coágulo, devido à rutura de uma placa de colesterol.

 

Quais são os sintomas?

Os sintomas mais comuns, para os quais as pessoas devem estar despertas, são a dor no peito, por vezes com irradiação ao braço esquerdo, costas e pescoço, acompanhada de suores, náuseas, vómitos, falta de ar e ansiedade. Normalmente os sintomas duram mais de 20 minutos, mas também podem ser intermitentes. Podem ocorrer de forma repentina ou gradualmente, ao longo de vários minutos.

 

Qual é o tratamento?

Receber o tratamento mais adequado, o mais depressa possível, vai reduzir o risco de mortalidade, reincidência de enfarte e prevenir problemas a longo prazo.

O tratamento mais eficaz para um dos tipos mais comuns de enfarte é a angioplastia primária, que tem como objetivo reabrir as artérias obstruídas e restaurar a circulação sanguínea no miocárdio.

É fundamental que este procedimento seja efetuado o mais cedo possível. Idealmente até 90 minutos após início dos sintomas.

A angioplastia primária faz-se com a colocação de um cateter na artéria obstruída, através do qual se introduz um balão que, quando insuflado, permite a abertura da artéria e o restabelecimento do fluxo sanguíneo.

Na maioria das vezes, este procedimento é complementado com a colocação de um stent, um dispositivo médico composto por uma pequena malha metálica que mantém o vaso aberto.

Após a realização do tratamento, a dor diminui de intensidade e os sintomas aliviam de imediato.

 

Porquê ligar o 112?

Conhecer e compreender os sinais de um enfarte permite agir rapidamente e procurar ajuda médica. A rapidez é fundamental para o sucesso do tratamento. A cada minuto que passa o risco de morte aumenta.

Por isso, perante a suspeita de enfarte, ligue o número europeu de emergência - 112.

O 112, através do INEM – Instituto Nacional de Emergência Médica, tem um serviço de atendimento permanente que, com algumas perguntas simples, permite perceber e identificar os sintomas, garantindo um melhor tratamento da situação.

As ambulâncias do INEM estão equipadas com aparelhos que registam e monitorizam a atividade do coração. Este equipamento permite diagnosticar o enfarte e encaminhar o doente para o hospital mais indicado.

Em caso de enfarte, não deve tentar chegar a um hospital pelos seus próprios meios.

 

Prevenir

é o melhor remédio

O risco de ter um enfarte aumenta quando a pessoa é fumadora, tem o colesterol elevado, diabetes, hipertensão arterial e familiares diretos com história de enfarte.

No entanto, alguns destes fatores de risco podem ser modificados ou prevenidos, se forem adotados estilos de vida saudáveis, como deixar de fumar, a prática de alimentação saudável, em particular através de diminuição de sal na comida, e a prática de exercício físico.

Outros fatores podem ser controlados através de medicamentos, como a diabetes, a hipertensão e o colesterol elevado.

 

Fonte:

APIC – Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular