Vacinação de idosos exigiu grande logística em Vimioso

Qua, 17/02/2021 - 11:31


Autarca de Vimioso diz que nestes concelhos só com a articulação entre os serviços de saúde e municipais é possível que a vacinação contra a Covid-19 chegue a todos.

Mais de 300 idosos, com idade superior a 80 anos, de todas as aldeias do concelho de Vimioso e da vila de Argozelo, já receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19. Mas foi necessário montar uma operação logística para que todos fossem avisados e transportados até ao Centro de Saúde de Vimioso, onde receberam a primeira dose. A falta de transportes públicos, a idade avançada, o facto de não estarem familiarizados com as novas tecnologias e com o processo de vacinação levou a que no concelho houvesse uma preocupação e envolvimento maior na organização dos contactos e das deslocações.

A norma é que os utentes sejam contactados por sms, no entanto, neste caso as pessoas foram informadas por chamada telefónica ou pessoalmente, numa parceria entre as juntas de freguesia, o município e o centro de saúde. Um processo que permitiu que todos fossem informados.

José Dias, de Santulhão, tem 87 anos e disse que “sabia que tinha que levar a vacina, porque os da junta de freguesia” o avisaram. No caso de Isabel de Jesus da mesma aldeia, com 84 anos, o aviso foi presencial. “Não me ligaram, foram lá a minha casa, uma senhora que pertence à junta”, explica. José Alves Martins, de 85 anos, diz que “não custou nada tomar a vacina”, que soube que tinha de receber porque a funcionária da junta “andava a tirar o nome” para elaborar a lista das pessoas a vacinar. Primeiro os idosos foram contactados para saber se pretendiam receber a vacina e depois informados do dia em que teriam de se deslocar ao Centro de Saúde de Vimioso. Outra dificuldade da vacinação deste grupo etário é precisamente o transporte. Quem sexta-feira se deslocou até ao centro de saúde de Vimioso chegou ou de autocarro ou em viatura disponibilizada pelo município. “Se não fosse este transporte tinha que alugar um táxi, se me avisassem, senão não vinha”, disse outro dos vacinados, que chegou ao Centro de Saúde graças ao transporte disponibilizado pela Câmara. José Martins acha bem que tenha sido disponibilizado o autocarro da câmara, ainda que já lhe custe um pouco subir. “Senão tinha de vir no táxi”, que custa entre 25 a 30 euros. José Lopes Martins também diz que “teria de desenrascar de outra maneira, para vir”, por isso diz que “é bem” que tenha sido arranjado transporte.

Em vez de o critério de agendamento ser a idade, os maiores de oitenta anos foram agrupados por aldeia e no caso de Santulhão foram necessárias três viagens das várias viaturas. O autarca de Vimioso, Jorge Fidalgo, diz que transportar os utentes foi a opção tomada pela Câmara para agilizar o processo. “Temos o autocarro da Câmara Municipal, carros ligeiros para aquelas pessoas que têm dificuldades a subir para o autocarro e ainda temos os bombeiros, para aquelas pessoas que tenham mobilidade totalmente reduzida ou estejam acamadas e que queiram tomar a vacina nós trazemo-las para o centro de saúde”, afirmou.

O presidente da Câmara explica que só com a colaboração entre os serviços de saúde e os municipais é possível garantir que nenhum destes idosos fica por vacinar. “O centro de saúde tem a listagem dos utentes inscritos” que é comparada com a lista “do levantamento pelos presidentes de junta”, explica o autarca. “Tem havido uma articulação muito, muito estreita entre as juntas de freguesia, câmara municipal e centro de saúde. Se assim não fosse no meio rural era impossível vacinar todas as pessoas”, entende Jorge Fidalgo.

O processo de vacinação das pessoas com mais de 80 anos do concelho de Vimioso deverá estar concluído até ao final desta semana. A logística montada de contactos e transportes vai repetir-se a partir de dia 25, quando começar a ser administrada a segunda dose a este grupo etário. No primeiro grupo de prioridade incluem-se ainda as pessoas com mais de 50 anos e algumas patologias associadas, que em Vimioso vão ser vacinadas de seguida. A vacinação à comunidade vai estender-se, durante esta semana, aos municípios de Mirandela e Freixo de Espada à Cinta.

Jornalista: 
Olga Telo Cordeiro