Vacinação contra Covid-19 arrancou na ULS Nordeste

Ter, 05/01/2021 - 11:44


A Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste começou a campanha de vacinação contra a Covid-19, no dia 29, no Hospital de Bragança.

Nesta etapa inicial, foram abrangidos todos os profissionais de saúde, que estão na linha da frente no tratamento a doentes Covid-19, com prioridade para os profissionais que trabalham nas unidades de cuidados intensivos, nas enfermarias dedicadas a doentes com Covid-19 e ainda nos quatro serviços de urgências da ULS. Em comunicado, a ULS do Nordeste adiantou que recebeu 495 doses de vacinas para administrar no arranque da campanha. Na Unidade Hospitalar de Bragança foram vacinados cerca de 300 profissionais de saúde que actuam na linha da frente no combate à pandemia. Já no dia 30 foram preparadas 105 doses para inocular profissionais de saúde de Macedo de Cavaleiros e em Mirandela 75. A primeira vacina foi administrada pelas 9 horas do dia 29, na Unidade Hospitalar de Bragança, onde decorreu, durante o dia, a campanha de vacinação. Em Macedo de Cavaleiros, no dia seguinte, o médico responsável pelos serviços de medicina interna foi o primeiro a receber a vacina contra a Covid-19 nesta unidade hospitalar. Jorge Poço disse sentir-se um “privilegiado” por receber a vacina, que considera a muito esperada “luz ao fundo do túnel”. “Correu muito bem, não senti nada. Acho que isto é a grande esperança para conseguirmos derrotar este vírus que tanto flagelo tem provocado”, afirmou. No segundo dia de vacinação, no distrito, foram ainda vacinados 24 profissionais de saúde de Mogadouro. Foi o caso de João Palas, que garantiu sentir-se “confiante” depois de receber a primeira dose da vacina. “Foi um bom passo. Vai-nos permitir voltar, pouco a pouco, ao antigamente, não será para já, mas é o primeiro passo”, disse. O início da vacinação na região é encarado pela directora Clínica para os Cuidados de Saúde Hospitalares da ULS Nordeste, Eugénia Parreira, como “uma janela de esperança”, mas frisa que devem manter-se os cuidados de segurança até agora seguidos. “A vacina não vai resolver o problema no imediato, temos de continuar a ter os cuidados que tivemos até agora, não podemos abrandar nas medidas, como o uso de máscara, o distanciamento social e etiqueta respiratória”, salientou. Entretanto não chegaram ainda mais vacinas à ULS Nordeste para prosseguir a campanha junto de outros profissionais de saúde nem para iniciar a inoculação nos lares de idosos, que deveria ter arrancado esta segunda-feira nas instituições dos concelhos com risco extremo de contágio.

Jornalista: 
Olga Telo Cordeiro