Livro faz recolha de “Ritmos Tradicionais Mirandeses” da caixa e bombo

Qua, 13/01/2021 - 15:14


Publicação inclui registo musical dos ritmos mirandeses em pauta para caixa de guerra e bombo, exercícios práticos e ainda um CD com gravações dos toques.

Dar um novo contributo para a divulgação e preservação do património musical das terras de Miranda é um dos objectivos do livro “Ritmos Tradicionais Mirandeses”, da autoria dos músicos Alexandre Meirinhos e Rui Rodrigues. A publicação promove uma recolha de ritmos específicos que caracterizam o “toque mirandês”, com destaque para os instrumentos da caixa e bombo, dois terços do trio dos gaiteiros. “São ritmos específicos da terra de Miranda e o objectivo o livro foi registá- -los, também para não se perderem e para não se deturparem e, ao mesmo tempo, para dar a conhecer ao maior número de pessoas. Um gaiteiro sozinho não é nada, quando se fala de gaiteira fala-se do trio, a gaita-de-fole, a caixa e o bombo”, explica o professor e músico Alexandre Meirinhos. A novidade do registo escrito vem acrescentar à transmissão oral uma outra forma de dar a conhecer a novos públicos os ritmos tradicionais da Terra de Miranda. Esta recolha escrita é um trabalho na área da percussão que, segundo o autor, não tinha ainda sido feito. “Faltava este trabalho. As pessoas normalmente têm ideia que se pega no bombo e na caixa e desenrasca-se, mas não é bem assim. Daí a importância do registo destes ritmos, que são específicos para cada músiprio, que deve ser de uma forma e não de outro”, afirmou. O livro inclui também o registo musical dos ritmos mirandeses em pauta para caixa de guerra e bombo, exercícios práticos e um CD com gravações dos toques, podendo ajudar quem queira aprender a tocar estes instrumentos. “Quem está a aprender percussão pode fazer alguns exercícios de técnica a partir dos ritmos tradicionais, quem domina a parte escrita pode acompanhar pela partitura. Já o CD acaba por complementar esta parte escrita e para quem não domina a leitura de uma partitura pode fazer como antigamente, ouvir o toque e reproduzir”, acrescenta o elemento dos Galandum Galundaina. O livro inclui textos em três línguas: português, mirandês e inglês. A edição do livro teve o apoio da Direção Regional de Cultura do Norte e da Galandum Galundaina Associação Cultural.

Jornalista: 
Olga Telo Cordeiro