PUB.

Senhora das Graças, a rainha de Bragança

Qua, 28/08/2019 - 09:18


Na semana passada tivemos o ponto alto das Festas da Cidade de Bragança, com o dia dedicado ao lavrador, 21 de Agosto, em que o município homenageia os agricultores do concelho. A feira de ano também é transferida para este dia. Notou-se a afluência de todas as aldeias do concelho, porque as pessoas deixam para esta feira as compras necessárias e, juntando o útil ao agradável, vêm assistir ao Concurso Concelhio de Bovinos de Raça Mirandesa, que este ano teve a participação de 100 animais, de 24 criadores, no Recinto de Promoção e Valorização das Raças Autóctones onde, à tarde, também teve lugar a Final do Campeonato de Chegas de Touros do Concelho de Bragança. Uma hora antes da prevista para as chegas já o recinto estava praticamente cheio, porque cada vez há mais pessoas entusiastas deste evento. Houve pessoas que estiveram 3 ou 4 horas ao “rechincho” do sol, pois entre as lutas o tempo é demorado. Mais uma vez a Câmara de Bragança ofereceu um almoço, no Pavilhão Arnaldo Pereira, a cerca de 600 pessoas, entre criadores e agricultores, assim como a todas as pessoas que quiseram estar presentes.
O dia 21 de Agosto também é conhecido pelo arraial, com o seu espectáculo de fogo-de-artifício. Este ano tive o prazer de viver este momento na companhia de alguns amigos da Família do Tio João e, na minha opinião, nunca vi tanta gente na cidade.
O dia 22 de Agosto, feriado municipal, foi dedicado à padroeira, Nossa Senhora das Graças, rainha da cidade. Por mais um ano se realizou a majestosa procissão, com a maior participação de andores de sempre, 55 de várias paróquias do concelho. É bom ver o entusiasmo das pessoas das aldeias a transportar o seu andor, muitas das quais nossas ouvintes e participantes. Ainda me lembro que antigamente as crianças estavam à espera deste dia para desfilar na procissão vestidos de anjinhos.
A Senhora das Graças também tem honras de festa grande na aldeia de Carção (Vimioso), este ano com um cartaz muito apelativo.
Neste último fim-de-semana de Agosto, festejou-se o S. Bartolomeu em muitas localidades da região, como foram os casos de Argozelo (Vimioso), Rabal, Freixedelo e Sanceriz (ambas do concelho de Bragança), Vale das Fontes (Vinhais) e Água Revés (Valpaços). Recordo com saudade a festa do S. Bartolomeu de Bragança, quando subia, com o meu avô, a escadaria com a merenda para ser comida junto ao santuário.
No último fim-de-semana também se realizou a festa da Senhora da Saúde, em Vale de Janeiro (Vinhais) e a XIX Feira das Cebolas, em S. Pedro de Sarracenos (Bragança), de que sou padrinho. No próximo dia 30, sexta-feira, têm início as novenas em honra de Nossa Senhora da Serra, onde todos os anos participam cerca de um milhar de pessoas, que tiram férias para pernoitar no santuário durante aqueles nove dias.
A nível agrícola quase toda a gente está a aproveitar a “mão de obra” vinda do estrangeiro para apanhar as batatas, fazendo também desta actividade uma festa. Segundo me disseram vários tios, este é um bom ano de batata, tanto em quantidade como em qualidade.
No que ao clima diz respeito, como o início de Agosto a lua nova entrou troada, esperava-se que chovesse, como aconteceu no Domingo e na segunda. A partir de agora já não se prevê mais chuva. Muitos já são também os emigrantes com as malas feitas para regressarem aos seus países de acolhimento, onde ganham o pão de cada dia. Que a Senhora da Boa Viagem e o São Cristóvão lhes dêm uma óptima viagem, pois os seus familiares que ficam por cá, estão ansiosos a aguardar de coração nas mãos o habitual telefonema que diga “somos nós, já chegamos, a viagem correu bem”.
Os nossos tios e tias do concelho de Miranda do Douro disseram-nos que o grande fluxo de emigrantes nestas terras começa agora, pois querem vir à grande romaria que é a Senhora do Nazo, rainha dos mirandeses, na aldeia da Póvoa.
Nos últimos dias estiveram de parabéns a tia Laura Pires (80), de Paradinha Nova (Bragança); o tio Aurélio Pires (72), de Sabariz (Bragança); Maria de Fátima (35), de Valverde (Valpaços); Carlos Alberto (69), de Olmos (Macedo de Cavaleiros); Elisabete Morais (42), de Torre de Dona Chama (Mirandela) e a tia Maria José, mais conhecida como a tia Chanqueira (78), de Sendim (Miranda do Douro). Para todos muita saúde e paz, que o resto a gente faz.