PUB.

Os nossos caminhos de peregrinação a Fátima

Ter, 14/05/2019 - 10:40


Olá gente boa e amiga.

Hoje começo por compartilhar convosco a perda do meu tio António Lopes (António Micho), irmão da minha mãe. Há cerca de um ano, nesta mesma página, demos a conhecer a sua arte de endireita, com o título “Mãos que endireitam”. Deus chamou-o a Si, na quinta-feira, dia 9 de Maio, a poucos dias de completar 85 anos. Bem-hajam todos que nos consolaram, tanto pessoalmente como através do nosso programa de rádio. Foram muitas as palavras de reconhecimento e agradecimento das pessoas que ele, com as suas mãos, ajudou em problemas de tendões e ossos. Tantos anjinhos o acompanhem como pessoas ele ajudou. A família da minha mãe agradece a todos os que, de uma maneira ou de outra, estiveram connosco na nossa dor. Aqueles que amamos nunca morrem, continuam vivos no nosso coração e eu vou sempre recordá-lo como “o meu tio bonito”, pois tinha o cabelo branco e brilhante. Que em paz descanse a sua alma.

A chuvinha da última semana, em forma de rega gota-a-gota, tem ajudado os nossos tiozinhos na agricultura, que já andam em força a plantar o renovo e a sementeira das batatas tem sido o prato forte nos últimos dias, embora também haja quem já tenha batatas novas, como é o caso do tio Manuel Drulovic, de Estorãos (Valpaços), que as semeou no início do ano.

Há uns anos, na nossa região, quando os filhos convidavam os pais para irem passar uns dias com eles nos locais onde estão a ganhar a vida, muitos dos nossos tios e tias não tinham vontade de ir porque lhes custava a passar o tempo, como nos contou a tia Ana Duarte, de Bragança. Segundo ela era sempre um suplício fazer com que os seus pais fossem para Paris. Agora, com a internet, podem ouvir o nosso programa como se estivessem em sua casa, em Portugal. Este é o truque para que o tempo não lhes renda tanto.

A tia Infância, de Chacim (Macedo de Cavaleiros), já há alguns anos que está em Lisboa, junto com a sua filha, de onde nos ouve e participa. Frequenta diariamente um centro de dia local, onde aos 90 anos se começou a dedicar à pintura, provando assim que nunca é tarde para nada. Que continue a descobrir o mundo e a arte da pintura por muitos mais anos.

Nesta altura não podemos deixar de falar das peregrinações a Fátima a pé. Estivemos a acompanhar o grupo de 50 peregrinos de Braga, que nos ligaram diariamente, na pessoa do tio Hélder Magnífico, o arqueólogo que esteve a trabalhar na barragem do Baixo Sabor e que ficou sempre ligado à nossa família. A sua caminhada, de 266 quilómetros, demorou seis dias e foi sempre feita à noite. Chegaram na sexta-feira, dia 10, às 11 horas da manhã, com o grupo completo.

Também acompanhei, através do feceboock, a peregrinação de um grupo de 25 pessoas de Mirandela, que iniciou a peregrinação no dia 1 de Maio e chegou a Fátima no dia 8.

Ao pormenor, acompanhámos diariamente, através no nosso programa de rádio, o grupo de 25 peregrinos, de Vila Flor, Bragança, Vinhais e Carrazeda de Ansiães, apoiado pela Santa Casa da Misericórdia e Câmara Municipal de Vila Flor, que disponibilizou um autocarro. Os 390 quilómetros percorridos foram feitos em 9 dias, chegando a Fátima no dia 12, Domingo. A nossa ‘repórter’ foi a tia Leardina, de Valpaço (Vinhais) que, depois de sete anos, voltou a repetir a experiência. Uma certeza que nos ficou destas peregrinações é a entreajuda que existe e a camaradagem geral demonstrada, para que todos consigam chegar ao fim.

Dia 13 de Maio, segunda-feira, fomos surpreendidos com as orações da manhã em directo da Capelinha das Aparições, em Fátima, pelo nosso primo Marco, de Estorãos (Valpaços), que continua a marcar pontos no nosso coração.

Quanto a aniversários da última semana, estiveram de parabéns o tio Abílio (55), de Fonte Fria (Murça); Alfredo (72), de Couços (Mirandela); Irene Hostettler (48), de Parada (Bragança), a residir na Suíça; Paulo Machado (62), de Brunhozinho (Mogadouro); Teresa (78), de Vila Nova (Bragança); Laura (85), do Regodeiro (Mirandela); Anunciação (78), de Milhão (Bragança); Zulmira (68), de Mirandela e Maria Falcão e Ascensão Domingues, ambas fizeram 63 anos e são de Caçarelhos (Vimioso). Que Deus os ajude a festejarem mais aniversários na nossa companhia.