Os meninos da APADI, os nossos ouvintes especiais

Ter, 19/09/2017 - 16:15


Olá familiazinha!
Estive de férias na região do Minho, em Vila Praia de Âncora, onde fui pai e marido a tempo inteiro, ganhando energias para o novo ano lectivo da universidade da vida.
Quem não deu férias à familia foi o nosso primo Rui,que mais uma vez esteve no comando do amor e da amizade da familia do tio João, brindando também os leitores deste jornal com a sua página. Já desde sábado passado que estou no activo. Os últimos aniversariantes foram o tio Duarte, pastor de Prado Gatão,Miranda que fez 3 dúzias(36 anos) e o Leonel Farruquinho de Coelhoso, que nos liga de Orly França, fez 41anos.Parabéns para ambos que são dois grandes ouvintes e participantes do progama.
Quem nos ouve diariamente também são os nossos meninos da Apadi que vai realizar mais um ano o almoço convívio no complexo do Geadas,na estrada do aeródromo. Todos os anos a familia está presente, contamos consigo! São ouvintes muito especiais e agora com ajuda da equipa técnica da Apadi vamos conhecê-los:

 

A Associação de Pais e Amigos do Diminuído Intelectual – APADI de Bragança surgiu em 1979 através de um grupo de pais e amigos da pessoa com deficiência, sendo esta iniciativa apoiada pelo bispo de então, D. António José Rafael. A criação desta IPSS teve como propósito a prestação de serviços às pessoas com deficiência mental profunda e às suas famílias. Com a boa vontade de sócios, benfeitores, pequenos donativos e muito trabalho, em Abril de 1980 nascia a APADI, primeira Instituição Particular de Solidariedade Social no Distrito de Bragança que apoia utentes de vários concelhos.
Atualmente, as principais atividades da APADI traduzem-se em duas respostas Sociais:
1 - O Lar Residencial, onde residem 77 Utentes, é um equipamento para acolhimento de pessoas com deficiência, que se encontram impedidas, temporária ou definitivamente, de residir no seu meio familiar. O objectivo desta valência é proporcionar meios que contribuam para melhorar a qualidade de vida dos utentes, prevenir situações de dependência e promover a autonomia, acompanhar e estimular o desenvolvimento integrado dos jovens e adultos com deficiência em colaboração com a família, a instituição e a comunidade. Os Utentes internos beneficiam de atividades ao nível da autonomia funcional e social, desportivas, lúdicas, recreativas, atividades da vida diária, ocupacionais e socioculturais.
2 - O Centro de Atividades Ocupacionais (CAO), com 30 Utentes, tem como finalidade prestar serviços às pessoas com deficiência e/ou incapacidade grave, mobilizando uma rede diversificada de recursos terapêuticos, pedagógicos e psicossociais, promovendo a valorização e integração social dos Utentes, permitindo-lhes o desenvolvimento das suas competências, capacidades e potenciais, para uma melhoria contínua da sua qualidade de vida. Neste sentido são desenvolvidas as seguintes atividades:
- Ocupacionais (pintura, artes plásticas e decorativas, culinária, têxteis, madeiras, jardinagem);
- Desenvolvimento pessoal e social (jogos/dinâmicas de grupo, arranjo pessoal, escolaridade funcional, informática, passeios, AVD’s);
- Lúdico-terapêuticas (desporto, hidroterapia, teatro, musicoterapia, hipoterapia, terapia ocupacional, psicomotricidade, treino funcional, zumba);
- Socioculturais (dias temáticos, dias festivos, convívios intergeracionais, visitas a museus e certames).
Fazem também parte da planificação das nossas atividades o trabalho para e com a comunidade ao nível de passeios, vindima, magusto, carnaval, cantar dos reis, via-sacra, iniciativa pirilampo mágico, almoço anual da APADI, entre outras. 
O dia-a-dia de alguns dos nossos utentes inicia-se ainda muito cedo na sintonia da rádio Brigantia, emissora que transmite de segunda a sábado o programa “Bom dia Tio João”. O mesmo proporciona a partilha de saberes e experiências, tal como o contacto com valores, tradições, usos e costumes próprios da nossa região, facto que encanta os nossos utentes, uma vez que os mesmos se revêem nas iniciativas propostas pelo referido programa. São vários os utentes que se sentem parte desta grande “Família do Tio João ”, nomeadamente, Jorge (Vieiro), Manuel (Viduedo), José Armando (Vinhas), Conceição (Rabal), José Batista (Vilares da Vilariça), Irene (Lousa), Moisés (Pinela), Olinda (Castedo), Fernando (Felgar), Inácia (Bragança), entre outros.
Da interação entre a Família do Tio João e a APADI, destaca-se a aquisição de uma cadeira de rodas elétrica para o utente José Armando, tendo esta ajuda técnica proporcionado melhorias na sua autonomia e mobilidade, bem como nos domínios social e emocional.
Salienta-se ainda a participação dos nossos utentes nas visitas às localidades proporcionada pelo convívio “Piquenicão”, atividade que proporciona o reencontro com conhecidos e familiares dos mesmos, bem como a sua inclusão social na comunidade.
A APADI agradece a amizade e a colaboração da Família do Tio João, não só na divulgação das ações promovidas pela Instituição, bem como, pelo envolvimento e participação nas mesmas.

A equipa técnica da APADI