Estamos em Agosto com muito gosto

Ter, 06/08/2019 - 11:53


Olá familiazinha, gente boa e amiga.

Fez 6 anos, no passado dia 1 de Agosto, que a Rádio Brigantia abriu as portas à Família do Tio João. Em boa hora o fez, porque tem vindo a sentir-se um crescimento da família, em todos os aspectos, desde então: As participações aumentaram substancialmente e novos membros da família não têm deixado de se apresentar diariamente. Como é do conhecimento geral, o nosso programa é mais direccionado para uma faixa etária alta e, se é verdade que uns vão partindo, também não é menos verdade que outros, mais novos, se vão apresentado e envelhecendo connosco.

Já lá vai o tempo em que o mês de Agosto era o de menos participações, mas agora, devido às novas tecnologias, as pessoas podem ouvir-nos e participar seja onde for, desde o seu local de trabalho às hortas e até em viagem, como tem acontecido com os nossos tios emigrantesque, todos os anos, por esta altura, quando chegam às suas localidades nos contactam para informar a nossa família que chegaram bem. Estou cada vez mais contente com os laços de amizade urdidos entre todos os membros da nossa família.

No dia 30 de Julho celebrou-se o Dia Internacional da Amizade. Como os amigos não nascem, mas fazem-se, cada vez há mais pessoas a descobrir que o nosso programa é uma fábrica de fazer amigos. Temos notado que cada vez mais os nossos ouvintes se querem conhecer pessoalmente e conviver uns com os outros, organizando almoços.

Por coincidência, quando estava a “rabiscar” estas linhas, recebi a visita do tio Acácio, de Alfaião (Bragança), que vive no Barreiro com as suas filhas, mas que actualmente se encontra de férias por cá, na sua terra Natal, que me contou que esteve num almoço nas Quintas da Seara (Bragança) com a tia Arminda (rainha do tacho), o tio Luís Modinhas e a tia Lurdinhas, o tio Eduardo Fidalgo e a tia Maria do Carmo, os quatro de Paradinha de Outeiro (Bragança), a tia Gina Salazar e o tio Delmino Ferreira, de Grijó (Bragança), o tio António e a tia Fonsi, de Sacoias (Bragança) e o tio Ramiro, de Freixedelo (Bragança), onde disfrutaram da amizade, conquistada através das ondas da nossa rádio. O tio Acácio também tem aproveitado estes dias por cá para conhecer pessoalmente outros membros da nossa família que vivem mais distantes e por isso foi visitar o tio Luís Ventura e a tia Ana Maria a Caçarelhos (Vimioso), de onde já não saiu sem primeiro almoçar e inclusivamente levou o seu órgão para animar o momento, como retrata a foto.

Com a chegada em força dos emigrantes, as nossas terras duplicam e triplicam a população. Nesta época não se ouve ninguém a falar de desertificação. A tia Ana Maria, de Estorãos (Valpaços), contou-nos uma curiosidade de que nós também temos memória que é o facto de, nos anos 60, quando vinham os emigrantes, traziam sempre rebuçados e outras guloseimas para as crianças que havia nas aldeia. Na actualidade já não se preocupam com isso, porque não há crianças nas aldeias e as que há vieram de férias com eles…

Aos nossos emigrantes o tempo de férias passa muito depressa, entre casamentos, baptizados e festas populares quase diárias. Além disto, muitos têm por hábito passar uns dias nas praias do litoral, onde costumam ter casa própria e assim os dias que têm de férias passam-se “a voar”.

Há algumas décadas, nesta época, ainda se fazia a segada, a acarreja e só depois a malha nas eiras, como a aldeia de Palácios tem vindo a recriar com um festival que se realiza todos os anos, no último fim-de-semana de Julho, para recordar esses tempos passados. Actualmente já não é assim, porque com a mecanização da agricultura esta faina faz-se toda ao mesmo tempo. Para que não caia no esquecimento, o tio Américo, de Palácios (Bragança), jungiu as suas burras ao carro para nos demonstrar como se fazia antigamente, como se pode ver na foto. Continuando a falar de agricultura, esta é a altura da sacha e das regas, além da plantação da couve para o Inverno. Muitos dos nossos ouvintes têm-me dito que o supermercado à porta, o pronto a comer biológico, já lhes dá tomates, cebolas, pimentos, cenouras, alfaces, feijões, melancias, melões, ameixas, etc…

Esta semana tivemos mais um centenário, do tio José Luís Brás, de Freixedelo (Bragança), que já pertence ao clube daqueles que chegaram aos 100 anos de vida. Quem também esteve de parabéns foi a Matilde Rodrigues, de Paranhos (Valpaços), que festejou 103 anos,  a tia Leninha, senhora minha esposa, que completou 49 anos de vida, o tio Alexandre Cunha (70), de Parada (Bragança); o tio Neto (67), de Zebras (Valpaços); o tio Carlos Pinto (65), de Tabuaço (Viseu); o Luís Miguel (36), de Caçarelhos (Vimioso); a tia Ana Maria (59), de Estorãos (Valpaços); a Sofia Morais (11) e a sua mãe, Laura Morais (47), de Vila Nova de Monforte (Chaves). A todos muita saúde e paz, que o resto a gente faz.