Dos direitos da mulher o maior é o de ser mãe

Ter, 09/05/2017 - 10:35


 

Olá familiazinha! Festejámos, no passado domingo, o dia da mãe. Embora o dia da mãe seja todos os dias é festejado agora no primeiro domingo de Maio, mas eu como Tio João, ainda me lembro de um ano termos festejado este dia a 8 de Dezembro, dia da Imaculada Conceição.

A nossa universidade da vida tem sido enriquecida por estes dias com o miminho à mamã, além dos habituais miminhos da manhã. No sábado passado tivemos um “programaço”, com muitas participações, cheias de saudade por parte daqueles que já viram partir a sua mãe para a eternidade e de alegria daqueles que ainda podem disfrutar do seu amor. Desde o nosso tio Físico, de Outeiro, que interpretou um tema original dedicado à mãe, a outras músicas e cantigas de homenagem à mãe, destaco o desabafo da nossa tia Zita, de Celas, que, lamentou ela, Deus não lhe ter dado oportunidade de parir. Mas considera-se mãe dos seus sobrinhos e sobrinhos-netos.

No passado domingo foram várias as festas, um pouco por todo o lado, dedicadas à mãe e nós participámos numa realizada no restaurante Serra de Nogueira, com a presença dos Fados de Outrora, com a fadista Carla Silva e o organista Francisco Cubo. Foi muito bom ver os filhos reunidos com as suas mães, como foi o caso da nossa tia Carmelinda, de Vila Boa de Bragança, na companhia da sua filha, depois de ter passado momentos muito difíceis com a sua saúde. Praticamente em todas as escolas e jardins de infância também se festejou o dia da mãe.

 

 

Mãe é tudo!

Quando nos vem à mente a figura da mãe, surge sempre acompanhada de um misto de divino e humano.

É muito rara a pessoa que não se comova diante da lembrança da sua mãe.

Por que será que as mães são essas criaturas tão especiais?

Talvez seja porque elas têm o dom da renúncia...

Mas a mãe também têm outras características muito especiais.

Um coração de mãe é compassivo. A mãe sempre encontra uma maneira de ajudar o seu filho, mesmo quando a vigilância do pai é intensa.

Ela alivia o castigo, esconde as traquinices, defende, protege.

Mães são excelentes guarda-costas. Estão sempre alerta para defender o seu filho do amiguinho “terrorista”, que quer puxar o seu cabelo ou obrigá-lo a emprestar o seu brinquedo predilecto...

Quando a criança tem um pesadelo a meio da noite e o medo apavora, é a mãe que corre para acudir.

As mães são um pouco fadas, pois o seu abraço cura qualquer sofrimento e o seu beijo é remédio santo contra a dor...

Para os filhos, mesmo crescidos, a oração de mãe continua a ter o poder de remover qualquer dificuldade, resolver qualquer problema, afastar qualquer mal.

No entender dos filhos, as mães têm ligação directa com Deus, pois tudo o que elas pedem Deus atende.

O respeito às mães perdura até nos lugares de onde a esperança já fugiu.

Onde a polícia não entra, as mães têm entrada livre, ainda que seja para puxar as orelhas do filho que se desviou do caminho certo.

Existem mães que são verdadeiras escultoras. Sabem retirar da pedra bruta, que lhe chega aos braços, a mais perfeita escultura, trabalhando com o cinzel do amor e com o cadinho da ternura.

Ao mesmo tempo que têm algo de fadas, também têm algo de bruxas...

Elas adivinham coisas a respeito dos seus filhos, que eles querem esconder de si mesmos.

Sabem quando querem fugir aos compromissos, inventam desculpas e tentam enganar com falsas histórias...

É que os filhos esquecem-se de que ficaram nove meses no ventre da sua mãe e por isso é que elas os conhecem tão bem. As mães adivinham que a sua missão talvez seja a mais importante à face da Terra, pois é nos seus braços que Deus deposita as pedras preciosas, para que sejam lapidadas para ficarem mais brilhantes.

Talvez seja por essa razão que Deus dotou as mães com sensibilidade e valentia, coragem e resignação, renúncia e ousadia, afecto e firmeza.

Todas essas são forças para que cumpram a grande missão de ser mãe.

Significa ter uma razão de ser para o resto da vida; querer aproveitar e viver ao máximo cada momento. Ter sentimentos contraditórios ao ver os filhos a crescer e sentir alegria e saudade à medida que crescem.

E ser mãe significa ser co-criadora com Deus, e ter a oportunidade de construir um mundo melhor com essas pedras preciosas chamadas filhos...

 

Zulmira Lopes (Mirandela)