Olhe pelas costas dos seus filhos!

A fase escolar é marcada por transformações significativas na vida das crianças e adolescentes, a nível motor e psicossocial, pelo que é importante que os pais estejam atentos às queixas dos filhos e que intervenham na sua correção postural, a fim de criar bons hábitos preventivos.

Sensibilizar a população mais jovem a promover hábitos saudáveis e educá-los para uma postura vigilante em relação à coluna é indispensável.

As dores nas costas das crianças podem ser provocadas por inúmeros fatores, sendo os principais relacionados com uma má postura à secretária ou à mesa, um excesso de carga no transporte das mochilas, falta de exercícios de fortalecimento muscular da zona lombar e um aumento dos hábitos sedentários (muitas horas sentados), obesidade, assim como o excesso de tempo passado nos dispositivos móveis (telemóveis, tablets, computadores portáteis…). Também algumas lesões ou quedas podem acabar por gerar episódios pontuais de dores na coluna.

 

Cuidados a ter:

å Uso de tecnologias

Controle os horários de uso destes aparelhos e limite o seu uso, instituindo pausas obrigatórias. Assegure-se de que no momento da utilização as costas estão bem apoiadas e que o dispositivo não obriga a que tenham a cabeça inclinada. Ensine-os a movimentar o pescoço de um lado para o outro tocando nos ombros, para aliviar a tensão na região cervical.

 

å Postura à secretária

Tente corrigir a postura junto dos seus filhos enquanto estão a desenvolver hábitos. Embora não possa controlar a mobília utilizada na escola, pode fazer algumas mudanças em casa com o uso de uma cadeira confortável com um apoio lateral (nos braços), com um ângulo reto mas não rígida, e que acompanhe as costas enquanto fazem os trabalhos de casa. Os seus pés devem também estar bem apoiados no chão, num ângulo de 90 graus.

 

å Peso das mochilas

Procure pesar as mochilas e incentive o seu filho a organizar e planear os materiais necessários para cada dia de escola, evitando sobrecargas desnecessárias. Confirme também se a escolha é a mais adequada, se distribui o peso uniformemente, se tem as alças ajustáveis, um encosto maleável e divisórias que ajudem na distribuição do peso, não existindo oscilação. E as malas com rodinhas, ao contrário do que muitas vezes se pensa, não são a melhor solução, uma vez que sobrecarregam um lado.

 

å Prática de exercício físico

O exercício físico deve ser promovido tanto dentro como fora da escola. É recomendada a prática de desportos aquáticos pela ausência de impacto nas articulações, o que permite uma liberdade de movimento e normalidade na respiração e circulação, benéficas ao desenvolvimento da criança.

 

å Colchão

Uma almofada adequada e ortopédica, assim como um bom colchão, são sempre fatores a ter em consideração. A relação entre a cabeça/tronco da criança é diferente da do adulto, devendo as suas almofadas, por esse motivo, ser mais baixas.

 

å Stress

O excesso de trabalhos de casa ou a dificuldade em executá-los podem ser algumas das razões para a ansiedade sentida pela criança, desenvolvendo tensões musculares desproporcionais e dores nas costas. Ajude-os criando tempo livre para que possam brincar e ser crianças. Inscreva-os também em atividades desportivas, para que trabalhem diferentes grupos articulares e musculares.

 

å Valorizar as queixas

É importante escutar sempre as queixas dos filhos e saber identificar os sinais.

 

Olhe pela saúde postural dos seus filhos. E em caso de dúvida não hesite em contactar a equipa de Saúde Escolar, onde profissionais especializados estarão aptos e disponíveis para o esclarecer, diretamente no estabelecimento de ensino, tanto nesta como noutras questões relacionadas com o bem-estar dos mais novos.

 

A Unidade Local de Saúde (ULS) do Nordeste deseja que este seja um bom ano letivo e muito saudável!