Anorexia Nervosa: o que deve saber

Saiba o que é a anorexia nervosa, as suas causas, como se manifesta, diagnostica, trata e previne.

O que é a anorexia nervosa?
A anorexia nervosa é uma perturbação do comportamento alimentar que se caracteriza por um medo intenso de ganhar peso e por uma profunda insatisfação com a imagem corporal. Os pacientes com anorexia nervosa apresentam uma distorção desta imagem, pois têm a perceção de que estão com excesso de peso quando na realidade já se encontram num estado muito avançado de magreza. Estes pacientes recusam constantemente a ingestão de alimentos mesmo na presença de fome e realizam exercício físico de forma compulsiva, o que leva a uma grande perda de peso, com prejuízo para a saúde e com potencial risco de vida. A anorexia nervosa é mais frequente no género feminino e afeta sobretudo pessoas de classe socioeconómica média e alta.

Quais as causas da anorexia nervosa?
A anorexia nervosa é influenciada por diversos fatores de natureza genética, biológica, psicológica e ambiental. A reduzida autoestima, a insatisfação com a aparência física e o perfecionismo são traços de personalidade que predispõem frequentemente a esta patologia. O impacto da sociedade e dos grupos próximos (família e amigos) parecem ser muito importantes, uma vez que comentários negativos sistemáticos e repetitivos sobre o corpo de uma pessoa, a participação em atividades onde se destaca muito a imagem corporal e o envolvimento em situações traumáticas são também fatores que podem desencadear anorexia nervosa.

Como se manifesta a anorexia nervosa?
A anorexia nervosa manifesta-se por uma excessiva preocupação com a imagem corporal, na medida em que os primeiros sinais são o crescente cuidado com a dieta e com o peso corporal. A ansiedade intensifica-se substancialmente à medida que os pacientes emagrecem. Mesmo perante uma magreza extrema, insistem que estão obesos, negam ter qualquer problema, negam perda de peso e, por norma, resistem ao tratamento. 
A anorexia nervosa origina diversas alterações de natureza física, tais como anemia, osteoporose, lesões cardíacas e cerebrais, frequência cardíaca lenta, pressão arterial baixa, temperatura corporal baixa, obstipação (prisão de ventre), dor abdominal, intolerância ao frio, amenorreia (ausência de menstruação), cabelo fino e suave ou, pelo contrário, grande quantidade de pelos dispersos pela face e corpo. A nível psicológico é frequente a manifestação de sintomas como tristeza, baixa autoestima, autocrítica, isolamento social, irritabilidade, ansiedade e insónia. A nível comportamental é comum a ocultação de alimentos, a simulação de refeições e uma recusa ou preocupação excessiva em alimentar-se em público. Numa fase mais avançada, quando a desnutrição se torna grave, todos os órgãos principais são afetados. 

Como se diagnostica a anorexia nervosa?
O diagnóstico de anorexia nervosa não é fácil, pois os pacientes tendem a ocultar o seu comportamento e a negá-lo. Contudo, o diagnóstico é clínico e deve ser realizado com base na perda de peso acentuada e nos sintomas psicológicos característicos. O doente típico é uma adolescente que perdeu pelo menos 15% do seu peso corporal, receia a obesidade, deixou de menstruar e nega estar doente.

Como se trata a anorexia nervosa?
O tratamento da anorexia nervosa deve ser iniciado o mais precocemente possível, pois esta é a doença do comportamento alimentar com maior nível de mortalidade. O seu tratamento compreende duas fases. A primeira fase corresponde à recuperação do peso corporal, que é geralmente realizada no hospital caso a perda de peso tenha sido rápida ou intensa (mais de 25% abaixo do peso ideal). Numa segunda fase, quando o estado nutricional é aceitável, inicia-se a psicoterapia individual, de grupo ou familiar que é frequentemente associada a fármacos. 
A intervenção psicológica na anorexia nervosa tem como finalidade o atingimento de um peso sadio e de níveis motivacionais que ajudem na obtenção de padrões alimentares saudáveis. Para além do ganho de peso pretende-se a modificação de um conjunto de pensamentos, atitudes e emoções desadaptativas relacionadas com o comportamento alimentar, provocando uma melhoria da autoestima e da autoimagem. 
A anorexia nervosa requer um acompanhamento psicológico e físico realizado por uma equipa multidisciplinar, sendo essencial envolver no processo toda a família, na medida em que o apoio familiar representa um fator primordial na eficácia do tratamento. Este deve ser encarado numa perspetiva a longo prazo, com o objetivo central de prevenção de possíveis fatores que poderão originar uma recaída.

Como se previne a anorexia nervosa?
A prevenção da anorexia nervosa passa por identificar precocemente e corrigir comportamentos problemáticos, como a prática de dietas muito rígidas, que possam evoluir para distúrbios alimentares. A perda de autoestima, a insatisfação com a aparência e a alteração nos hábitos alimentares devem motivar a avaliação por um profissional de saúde de forma a impedir a progressão do problema. É importante encorajar hábitos alimentares saudáveis, tendo em conta os seus benefícios, e não abordar com insistência a temática “dieta” na presença de crianças. O suporte, a atenção e o diálogo são ferramentas essenciais que devem ser exploradas na anorexia nervosa.

Dr.ª Fátima Monteiro
Médica Interna
em Medicina Geral e Familiar
UCSP Mirandela II
Unidade Local
de Saúde do Nordeste