Aleitamento Materno

A Organização Mundial de Saúde aconselha que o aleitamento materno exclusivo deve ser realizado até aos 6 meses de idade, quer pelas vantagens para o bebé quer para a mãe, e que a nutrição com leite materno deve ser mantida até aos 2 anos de idade.

As vantagens para o bebé são:

- Proporciona o reviver da calma e segurança do ventre materno;

- É um alimento adaptado à evolução do bebé (tem os nutrientes adequados às várias fases de desenvolvimento da criança até aos 6 meses);

- Contribui para um melhor desenvolvimento físico e psicológico;

- É de fácil digestão para o bebé;

- Diminui o risco da morte súbita;

- Reduz o risco de alergias, obesidade, diabetes, cárie dentária e protege contra infeções comuns da infância.

 

As vantagens para a mãe são:

- Favorece a involução uterina;

- Reduz o risco de hemorragia no pós-parto;

- Promove a perda de peso no pós-parto e diminui o risco de cancro da mama, útero e ovário e osteoporose;

- É muito prático uma vez que está sempre pronto e na temperatura ideal, sendo o método mais barato e seguro de alimentar os bebés.

 

Nutrir e proteger

A produção de leite materno ocorre devido à ação de 2 hormonas: a prolactina, que surge após a diminuição da progesterona e causa a produção de leite pela glândula mamária; e a ocitocina, produzida em resposta à sucção do mamilo, contraindo pequenos músculos que provocam a expulsão do leite.

Existem diferentes tipos de leite consoante o período de tempo em que são produzidos: Colostro (até aos 5 dias após o parto, espesso e amarelado, rico em substâncias de defesa que vêm da mãe e pobre em gordura - é importante colocar logo o bebé ao peito para aproveitar o colostro rico em substâncias para a defesa do organismo), leite de transição e leite definitivo (rico em proteínas e mais gordura – adequado ao desenvolvimento e crescimento da criança).

 

Conselhos úteis

É importante que a mãe ao amamentar esteja calma e relaxada, num ambiente tranquilo, com um posicionamento confortável para ambos (desconforto, dor, stress, inibem a produção de leite). A mãe deve garantir uma boa pega (o bebé deve abocanhar todo o mamilo), deve ser realizada em horário livre (o bebé decide quando quer mamar e quanto tempo dura a mamada) e em cada mamada deve ser com uma mama diferente (esvaziar a mama que iniciou a mamada e se ainda tiver fome é que passa para a outra; mas na mamada seguinte começa na que não amamentou ou na que o fez durante menos tempo).

Em relação aos cuidados com as mamas aconselha-se a mãe que o duche diário é suficiente para a higiene dos mamilos, não deve esfregar e após as mamadas deve espalhar o leite pelo mamilo e auréola. Não esquecer o uso de soutien de amamentação.

Para esclarecer qualquer dúvida relacionada com o aleitamento materno fale com a equipa do seu Centro de Saúde, onde tem ao dispor profissionais especializados para informar e apoiar nesta fase tão especial da vida da mãe e do bebé.

 

 

Dr.ª Filipa Faria e Dr.ª Diana Costa - Internas de Medicina Geral e Familiar da UCSP Mirandela II

Com a colaboração da responsável do Cantinho da Amamentação da UCSP Mirandela II, Enfª Sandrina Silva

ULS do Nordeste