Produtores de agricultura biológica preocupados com a falta de subsídios

Ter, 05/11/2019 - 12:12


Os produtores de culturas agro-ambientais estão preocupados com o futuro do sector e com a possibilidade de não virem a receber, no próximo ano, subsídios relativos à produção integrada.

produção integrada. “O futuro é muito preocupante, porque nada disto está seguro. Está em dúvida se a produção integrada continuará a ser subsidiada. São milhares de euros que podem deixar de entrar na nossa região”, disse Armando Pacheco, vice-presidente da Federação de Agricultores de Trás-os-Montes e Alto Douro. Para além disto, estes agricultores até ao dia 31 de Outubro, como estava previsto, deviam ter recebido os subsídios para as suas produções, que são apoiadas por comparticipação nacional e europeia. No entanto, segundo o Instituto de Financiamento da Agricultura e Pesca, o pagamento apenas vai ser feito esta semana. Habitualmente, as produções agro-ambientais recebem a “antecipação de fundo” de forma faseada. Primeiramente é-lhes atribuído 85% do subsídio até ao fim de Outubro e os restantes 15% até ao final de Dezembro. “Falta de dotação financeira” foi a justificação dada aos agricultores. Armando Pacheco não acredita que o dinheiro seja entregue durante esta semana, mas sim apenas no final do mês. 150 milhões é o total do valor dos subsídios atribuídos a nível nacional, sendo que 40 milhões são destinados aos 28 mil agricultores da região Norte. A maioria deste dinheiro é utilizado pelos produtores para manter os cultivos, numa fase em que muitas campanhas estão a começar. “Eu não acredito que na nossa zona ponha em causa as colheitas, mas pode pôr em causa o bom nome do agricultor, por não pagar atempadamente as suas contas”, afirmou o vice-presidente da FATA, acrescentando que “o agricultor vive do que se produz e dos apoios de manutenção”. Armando Pacheco esclarece que o motivo pelo qual os produtores, que se dedicam à agricultura biológica, são compensados se deve à redução da quantidade do produto cultivado em prol do ambiente. “Eu não uso determinados químicos, nem excessos de produtos no solo e tenho cuidados com a água, isto faz-me reduzir a minha produção, mas ao mesmo tempo estou a fazer bem ao ambiente. Então alguém me está a dar uma contrapartida pela minha perda de produção”, esclareceu acerca dos subsídios.

Jornalista: 
Ângela Pais