“Aziborne Extreme”: um evento diferenciador de promoção do concelho de Macedo de Cavaleiros

Qua, 29/06/2022 - 11:34


O evento está marcado para o próximo dia 3 de Setembro, em Macedo de Cavaleiros. A iniciativa reúne quatro modalidades desportivas praticadas em dois espaços de excelência, a Albufeira do Azibo e a Serra de Bornes.

O “Aziborne Extreme” regressa este ano. A segunda edição do evento está agendada para o dia 3 de Setembro, em Macedo de Cavaleiros, e desta vez tem cariz competitivo.

Como o próprio nome indica, a iniciativa vai decorrer na Albufeira do Azibo e na Serra de Bornes, dois ex-líbris do concelho macedense.

A primeira edição realizou-se em 2019, de forma experimental, e a forte adesão das equipas garantiu, desde logo, a continuidade da prova. No entanto, a covid-19 obrigou o município a adiar o evento desportivo.

Este ano, a segunda edição traz novidades. “Vamos ter quatro modalidades. Tirámos o skate e vamos ter o atletismo, a canoagem, o BTT e o parapente. Estas são modalidades que se praticam no nosso concelho. Cada equipa tem quatro elementos e ganha quem chegar primeiro à meta. Sendo que haverá prémios parciais por modalidade”, explicou Rui Vilarinho, vice-presidente do Município de Macedo de Cavaleiros.

A escolha das modalidades foi estratégica, pois o objectivo é potenciar os espaços naturais do concelho e que permitem a prática dos quatros desportos. “A canoagem é uma modalidade de excelência muito praticada no Azibo e ainda mais condições teremos quando terminarmos o Centro Náutico, o parapente é cada vez mais procurado através do BôAr Parapente Clube, no atletismo começámos de uma forma humilde e já somos campeões nacionais através do Clube Atlético e depois o BTT que tem cada vez mais adeptos em Macedo”, acrescentou o também vereador do desporto.

O “Aziborne Extreme” não é uma novidade a nível europeu, pois na Áustria realiza-se um evento muito semelhante, mas em Portugal o Município de Macedo de Cavaleiros é pioneiro na promoção da actividade.

Rui Vilarinho acredita que o “Aziborne Extreme” tem todas as condições para crescer, para “se tornar um evento diferenciador” e com impacto na economia local. “Isto é um evento para crescer. É só um dia, mas vai ter um impacto enorme na economia local. Vamos divulgar o evento em Portugal e fora. O desporto é uma alavanca para a economia, tudo que tem a ver com as dinâmicas ligadas ao turismo, turismo desportivo, e acreditamos que vai ser um sucesso”, afirmou.

Esta segunda edição tem vertente competitiva e há prémios monetários no valor total de cinco mil euros.

As equipas, portuguesas e estrangeiras, participam com quatro elementos cada, em estafeta. As provas têm um certo grau de dificuldade. “Para já o que posso dizer é que o atletismo terá mais de 10 quilómetros, a canoagem estão a fazer um teste para definir, o BTT terá cerca de 50 km e o parapente vai sair da serra de Borges com final no estádio Municipal”, explicou.

O “Aziborne Extreme” destina-se a atletas com espírito de aventura e de trabalho de equipa, não há idade mínima e as equipas nesta segunda edição podem ser mistas.

A primeira edição, e 2019, contou com cerca de 50 participantes. Este ano, o Município de Macedo de Cavaleiros acredita que o número vai duplicar.

 

Jornalista: 
Susana Madureira