PUB.

10 toneladas de castanhas desapareceram de um armazém em Carragosa

PUB.

Ter, 19/11/2019 - 11:08


Terão sido roubadas 10 toneladas de castanhas de um armazém, situado a escassos cem metros da aldeia de Carragosa, no concelho de Bragança.

Segundo ÉlioVaz, filho do produtor lesado, este roubo, que corresponde a mais ou menos um quinto da colheita deste ano, andará na ordem das 200 sacas. “Corresponde a cerca de 20 mil euros, dado preço a que estão este ano”, confirmou ainda. Conforme explicou, os supostos ladrões, que “não têm amor à vida deles”, terão rebentado o portão de entrada do armazém e, pelas marcas de pneus no chão do terreno, para lá levaram o veículo em que carregaram as castanhas. “Saíram e deixaram o armazém todo aberto”, adiantou o filho do produtor. Élio Vaz, que garante já ter feito queixa à GNR, que esteve no local no Domingo, sendo que o roubo se deu na madrugada anterior, não tem grande esperança que os responsáveis sejam apanhados. “Disseram que as provas são mínimas e é normal porque só há as rodeiras do veículo e os portões rebentados”, esclareceu alegando ainda não ter qualquer seguro contra roubos. “Nunca nos passou pela cabeça fazer seguro sequer para o armazém”, assinalou. Ainda assim, na sequência de uma publicação no Facebook, feita pelo irmão, sobre o roubo, Élio Vaz conta que já lhe terá telefonado um homem que viu uma carrinha suspeita. “Às três da manhã, quando o rapaz vinha de Bragança, viu uma carrinha, que vinha à frente dele, e desconfiou, tirando-lhe algumas fotografias”, complementou. Segundo o filho do produtor, nunca se tinha passado algo “semelhante”, o mais que acontece é dar-se por falta de castanhas mas “é coisa pouca”. “Há dois anos ao meu sogro, roubaram-lhe meia dúzia de sacas da carrinha mas assaltos assim, a armazéns, nunca tinha acontecido”, finalizou. Élio Vaz garante que ninguém terá dado conta do roubo.

Jornalista: 
Carina Alves